CCE - EDUCAÇÃO NO CAMPO/CIÊNCIAS DA NATUREZA - Presencial - Teresina - PROCAMPO

 

Curso  Nível  Graduação

CENTRO DE CIENCIAS DA EDUCACAO - CCE

Notícias

Nota de esclarecimento


 

 

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

CENTRO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO “PROF. MARIANO DA SILVA NETO”

 CAMPUS UNIVERSITÁRIO “MINISTRO PETRÔNIO PORTELLA”

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO/CIÊNCIAS DA NATUREZA

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE ACADÊMICA DO CURSO LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO.

Com o objetivo de prestar os devidos esclarecimentos à comunidade discente e docente sobre o trancamento do componente curricular “Química para o Ensino Médio”, período 2018.2 realizado pelo alunos e alunas do VIII Bloco, elaboramos um breve resumo, acompanhado de algumas ponderações que julgamos necessárias à harmonia e aos avanços institucionais do curso.

1.      A Coordenação do Curso recebeu na tarde da data de 25 de janeiro um baixa assinado dos alunos do VIII Bloco no qual pleiteava a suspensão da avaliação sob o argumento de que não se encontravam preparados adequadamente;

2.      A professora titular do componente curricular foi comunicada pela coordenação na manhã do dia 26 de janeiro de 2019;

3.      Na data citada acima, agendamento da aplicação do instrumento de avaliação, os alunos não compareceram à sala de aula;

4.      A professora titular do componente curricular, deu ciência, a título de informe, aos seus pares, na assembleia do curso realizada no dia 28 de janeiro;

5.      A coordenação, na data de 28 de janeiro, provocou, por mensagem de watt zap, a direção do movimento estudantil para auxiliar na resolução da questão, uma vez que é a instância legitima para a defesa dos interesse dos alunos;

6.      Durante a manhã do dia 29 de janeiro, alguns estudantes procuraram a coordenação para solicitar a intervenção da Coordenação na condução da questão, ocasião, na qual, a coordenação apresentou as prescrições dos dispositivo relacionados na Resolução 177/12 da UFPI sobre o item avaliação;

7.      Na tarde do dia 29 de janeiro a Coordenação agendou, via mensagem watt zap, diálogo com a professora titular do componente curricular. A situação permaneceu inalterada.

8.      No final da tarde do dia 29 de janeiro, a professora titular do componente curricular informou, por telefone, a Coordenação que todos os discentes haviam trancado o referido a matricula no citado componente curricular. Ação prevista na resolução 177/12 e no calendário acadêmico.

Assim, considerando essa cronologia do fatos, a Coordenação do Curso Licenciatura em Educação do Campo lamenta que os alunos e alunas do Bloco VIII tenham recorrido ao trancamento do componente curricular, mesmo considerando uma ação legitima, respaldado na citada resolução e previsto no calendário acadêmico 2018.2. No entanto, no entendimento da Coordenação, esse desfecho revela que precisamos exercitar mais e melhor o diálogo. Acreditamos, como Paulo Freire, que não existe docência sem dicência, portanto, qualquer que seja a opção política-ideológica de ambos, ensinar não é transferir conhecimentos, conteúdos nem formar é ação pela qual um sujeito criador dá forma, estilo ou alma a um corpo indeciso e acomodado. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender.

Lamentamos tal desfecho. Acreditamos que somos capazes de aprender com esse acontecimento. No entanto, o Curso não pode entrar numa letargia e aguardar uma revisão das práticas docentes, mesmo entendendo como imperativa, ampla e necessária ao processo de discussão, amadurecimento e reconstrução profissional. Os tempos hodiernos revelam um cenário sombrio e ameaçador para a Educação do Campo.

Para elucidar definitivamente qualquer dúvida a respeito da interpretação do fato ocorrido pela Coordenação, ratificamos nosso posicionamento com relação ao desfecho desse acontecimento. Para nós, os discentes são os mais prejudicados. Eles terão que postergar o sonho de conclusão do curso superior, além vivenciarmos um desgaste na relação educador e educando.

Assim, conclamamos a comunidade acadêmica, docentes e discentes, para refletirem, com mais afinco, sobre o exercício do diálogo e não temer as críticas e contribuições que podem aprimorar a nossa prática pedagógica. Ensinar inexiste sem aprender e vice-versa. Nessa relação docente e discente se descobrem como seres aprendentes.

Por fim, a Coordenação reafirma o propósito de continuar buscando o diálogo crítico e propositivo entre docentes e discentes e não medirá esforços para que a pratica docente autentica exigida na relação ensinar-aprender faça nascer um educador democrático que não se furta em transforma sua experiência pedagógica em uma práxis critico-reflexiva.

 

Teresina, 29 de janeiro de 2019.

 

Ariosto Moura da Silva

Coordenador da LEDOC – Teresina.


Notícia cadastrada em 29/01/2019 22:20  

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | sigjb04.ufpi.br.instancia1 vSIGAA_3.12.788 26/09/2022 22:49