-

PROFSAUDE008 - PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO NA SAÚDE DA FAMÍLIA NÍVEL - Turma: 01 (2020.1)

Tópicos Aulas
Encontro presencial: o planejamento e as práticas de saúde (06/03/2020 - 06/03/2020)

Acolhimento. Apresentação dos participantes. Discussão do tema: O planejamento em saúde como tecnologia de gestão, organização de serviços e participação social. Planejamento estratégico e planejamento participativo.  

Planejamento, política e gestão da atenção (13/03/2020 - 20/03/2020)

O PA em saúde como instrumento orientador das práticas de atenção, gestão e avaliação

O planejamento da Atenção Básica (27/03/2020 - 03/04/2020)

Plano Municipal de Saúde. Planejamento estratégico participativo e Técnica de Estimativa Rápida

Diagnóstico situacional do território (17/04/2020 - 24/04/2020)

Utilização das técnicas de planejamento estratégico e participativo para realizar o diagn´sotico situacional do território da UBS

II Encontro Telepresencial (24/04/2020 - 24/04/2020)

Apresentação e discussão do Diagnóstico Situacional 

Avaliação da Atenção Básica: conceitos, princípios, metodologias. A expeiência do PMAQ (08/05/2020 - 22/05/2020)

Avaliação de políticas, programas e serviços de saúde. Tipos de avaliação. Avaliação participativa e emancipatória. A experiência do PMAQ

Construção do Plano de Intervenção (05/06/2020 - 12/06/2020)

Diante do diagn´sotico construir de modo compartilhado com a equipe um plano de enfrentament aos problemas detectados

Sistematização do Plano de intervenção (19/06/2020 - 26/06/2020)
Atividades integradas com Atenção Integral ao Cuidado, Educação na Saúde e Construção do Conhecimento (03/07/2020 - 24/07/2020)

Atividades integradas com Atenção Integral ao Cuidado, Educação na Saúde e Construção do Conhecimento

Produção de sínteses sobre a disciplina (31/07/2020 - 07/08/2020)

Produção de sínteses sobre a disciplina

III Encontro telepresencial (21/08/2020 - 21/08/2020)

Apresentação do Plano de Intervenção e projeto de TCM

Avaliação da discplina e autoavaliação (04/09/2020 - 04/09/2020)

Avaliação da discplina e autoavaliação

Frequências da Turma
# Matrícula MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET Total
06 13 20 27 03 17 24 08 22 05 12 19 26 03 10 17 24 31 07 21 28 04 11
1 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
3 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
4 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
5 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
6 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
7 2020100**** 0 0 0 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 40
8 2020100**** 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Notas da Turma
# Matrícula Unid. 1 Unid. 2 Unid. 3 Prova Final Resultado Faltas Situação
1 2020100**** 9,0 9,5 9,5 9.3 0 AM
2 2020100**** 9,0 9,0 9,0 9.0 0 AM
3 2020100**** 9,5 9,5 9,5 9.5 0 AM
4 2020100**** 9,0 9,0 9,0 9.0 0 AM
5 2020100**** 0,0 0,0 0,0 0.0 0 RN
6 2020100**** 9,0 10,0 10,0 9.7 0 AM
7 2020100**** 9,0 10,0 10,0 9.7 0 AM
8 2020100**** 9,0 9,0 9,0 9.0 0 AM

Nenhum item foi encontrado

Plano de Curso

Nesta página é possível visualizar o plano de curso definido pelo docente para esta turma.

Dados da Disciplina
Ementa: Princípios do planejamento e da avaliação em saúde. Vertentes do planejamento em saúde: normativo e estratégico situacional Princípios e diretrizes do pacto pela saúde e consequências para Estratégia de Saúde da Família. Contrato de gestão na atenção básica. Instrumentos de planejamento e gestão no âmbito do SUS Planejamento, avaliação e monitoramento e melhoria continua da qualidade nas ações da ESF em consonância com a Política Nacional da Atenção Básica. Avaliação e desenvolvimento do planejamento em nível local. Dimensões Avaliativas: avaliação de processo, de resultado/impacto, de qualidade, de desempenho: Avaliação de desempenho: conceitos e seleção de indicadores. Estratégias de avaliação participativa.
Objetivos:
Metodologia de Ensino e Avaliação
Metodologia: Curso desenvolvido em rede nacional de IES na modalidade à distância com encontros semi presenciais, nos quais são debatidos e avaliads as atividades assincronas e sincronas realizadas. Em decorrencia da Pandeia de VOVID 19, os encontros foram desenvovidos na fn
Procedimentos de Avaliação da Aprendizagem: A avaliação ocorre em 3 modalidades
1. Formativa- Contínua e processual. Os critérios de avaliação incluem: frequência, qualidade e pertinência das
manifestações; profundidade das reflexões, articulação de ideias e conteúdos; clareza
de pensamento e expressão; qualidade da expressão textual. Em relação a
participação em fóruns, além dos aspectos anteriores é preciso examinar se o
estudante contribuiu para ampliar e qualificar a discussão do grupo.
2. Formadora: centrada no desenvolvimento do discente. O critério é a autoavaliação
3. Somativa:
Tarefas - 30%
1ª Tarefa de Planejamento e Avaliação: Diagnóstico Situacional
(atividades das semanas 6, 9 e 14)
67%
2ª Tarefa de Planejamento e Avaliação: Planejamento e Avaliação
Participativa
33%
Fórum - 30%
Nota de Fórum da Disciplina Planejamento e Avaliação 100%
Encontro Presencial ? 20%
Nota do 1º Encontro Presencial da Disciplina Planejamento e Avaliação 33,33%
Nota do 2º Encontro Presencial da Disciplina Planejamento e Avaliação 33,33%
Nota do 3º Encontro Presencial da Disciplina Planejamento e Avaliação 33,33%
Autoavaliação ? 20%
Autoavaliação na Disciplina Planejamento e Avaliação 100%
Horário de atendimento:
Bibliografia: Leituras obrigatórias
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. A melhoria contínua da qualidade na atenção primária à saúde: conceitos, métodos e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde (Série B. Textos Básicos de Saúde); 2010.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Autoavaliação para a Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica: AMAQ / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. ? Brasília: Ministério da Saúde, 2012.134 p. (Série B. Textos básicos de saúde). pp. 11-27 Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/geral/amaq.pdf
CARDOSO, A.J.C. Elementos construtores do planejamento participativo para as equipes de saúde da família. In: Saúde da família nos municípios brasileiros: os reflexos dos 20 anos no espelho do futuro. Campinas (SP), Ed. Saberes, 2014. pp. 355-421.
PARENTE, J. R. F. Planejamento participativo em saúde. SANARE, Sobral, 10(1):54-61, 2011. Disponível em:
https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/144/136. Acesso em: 25 Out. 2016.
TANCREDI, F. B.; BARRIOS, S. R. L.; FERREIRA, J. H. G. Fazendo um diagnóstico da situação de saúde da população e dos serviços de saúde. In: _______.Planejamento em saúde. In: VECINA NETO, G.; TERRA, V. (coords.) Coleção Saúde & Cidadania (Livro 02). Disponível em: http://
http://www.saude.mt.gov.br/ces/arquivo/1229/livros. Acesso em 13 Maio 2019.
PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A. G. A centralidade do usuário na avaliação em saúde: outras abordagens. In: PINHEIRO, R.; MARTINS, P.H. (orgs.). Avaliação em Saúde na perspectiva do usuário: abordagem multicêtrica. 1ª ed. Recife: CEPESC-IMA-UERJ-ABRASCO/Editora Universitária da UFPE, 2009. pp.37-52.
Disponível em: https://lappis.org.br/site/wp-content/uploads/2017/12/Avaliação-em-Saúde-na-Perspectiva-do-usuário-abordagem-multicêntrica.pdf. Acesso em: 20 out. 2018.
VENÂNCIO, S. I. et al. Avaliação em Saúde. In: ________. Avaliação para a melhoria da qualidade da estratégia saúde da família ? AMQ: estudo de implantação no Estado de São Paulo/ organizado por. São Paulo: Instituto de Saúde, 2008. (Temas em Saúde Coletiva, 7). pp. 17-28.
Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/instituto-de-saude/homepage/temas-saude-coletiva/pdfs/7_-_amq.pdf.
Acesso em: 20 out. 2018.
Vídeos e outras mídias obrigatórias
FERRAZ, H. F. Estimativa rápida na prática: uma experiência no Rio de Janeiro. Vídeo (24 min e 12 seg). Publicado pelo Departamento de Medicina Social da Universidade Federal de Pelotas. Youtube, 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4ZiZP0KHkw0&feature=youtu.be. Acesso em:
dez. 2018.
PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE (do município em que o mestrando atua profissionalmente)
PINTO, N. R. S.; SPEDO, S. M. (orgs.). Planejamento em Saúde: aspectos conceituais. Pelotas: UFPel/UnA-SUS; 2016. pp. 40-57
Semana 2 e 3
CAMPOS, R. O. Planejamento e razão instrumental: uma análise da produção teórica sobre planejamento estratégico em saúde, nos anos noventa, noBrasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16(3):723-731 jul-set, 2000.
HUERTAS, F. Entrevista com Carlos Matus: O método Planejamento Estratégico Situacional. São Paulo: FUNDAP, 1996. 139p.
LOEWENSON, R.; LAURELL, A. C.; HOGSTEDT, C.; D'AMBRUOSO, L.; SHROFF, Z. Investigación-Acción Participativa em Sistemas de Salud: una guía de métodos. Harare, Zimbabue: TARSC, AHPSR, WHO, IDRC Canada, EQUINET; 2014. Disponível em:
http://www.equinetafrica.org/sites/default/files/uploads/documents/Spanish%20PAR%20Reader%20March%202015%20for%20web.pdf. Acesso em: 25 Out. 2016.
MATUS, C. Precisamos Planejar? In: Adiós señor presidente. Caracas, Venezuela: Pomaire/Ensayos; 1987.
PINTO, N. R. S.; SPEDO, S. M. (orgs.). Planejamento em Saúde: aspectos conceituais. Pelotas: UFPel/UnA-SUS; 2016.
Semanas 10 e 11
BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Avaliação para Melhoria da Qualidade da Estratégia Saúde da Família. Brasília: MS (Série B: Textos Básicos em Saúde); 2005.
CAMPOS, C. E. A.; PISCO, L. A qualidade em APS: melhoria contínua da qualidade In: Promef - Programa de Educação Médica Continuada a Distância (vol.3). 4ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 9-40.
________. Definindo e avaliando a qualidade em Atenção Primária em Saúde In: Promef-Programa de Educação Médica Continuada a Distância (vol.3). 4ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 97-133.
CAMPOS, C. E. A. Estratégias de avaliação e melhoria continuada no contexto da Atenção Primária à Saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil.v.5, p.563-569, 2005.
________. Os princípios da Medicina de Família e Comunidade. Revista de APS (Impresso). v.8, p.181-190, 2005.
HARTZ, Z. M. A.; et al. Avaliação em Saúde dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas. 2ª Reimpressão Rio de Janeiro:Editora Fiocruz; 2002.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool ? Brasil. Brasília: MS (Série A. Normas e Manuais Técnicos); 2010. 80 p.
PAIM, J. S. Avaliação em saúde: uma prática em construção no Brasil. In: HARTZ, Z. M. A.; SILVA, L. M. V. (orgs). Avaliação em saúde. Rio de Janeiro:Editora Fiocruz; 2005.
PINHEIRO, R.; Martins, P.H. (orgs.). Avaliação em Saúde na perspectiva do usuário: abordagem multicêtrica. 1ª ed. Recife: CEPESC-IMA-UERJABRASCO/Editora Universitária da UFPE, 2009.
PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A. G. Institucionalização da Avaliação em Saúde: mediações com integralidade. In: PINHEIRO, R., SILVA JUNIOR, A. G. (orgs.) Atenção Básica e Integralidade: contribuições para estudos das práticas avaliativas em saúde (vol.1). 1ª ed. Rio de Janeiro: CEPESC / ABRASCO; 2008. p.17-41.
PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A. G. Práticas avaliativas da integralidade em saúde: percurso metodológico da pesquisa. In: PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A.G. (orgs.). Atenção Básica e Integralidade: contribuições para estudos das práticas avaliativas em saúde (vol.1). 1ª ed. Rio de Janeiro: CEPESC / ABRASCO;
2008. p.43-58.
STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO/Ministério da Saúde; 2002. Disponível
em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001308/130805por.pdf. Acesso em 25 Out. 2016.
Semana 12
BRASIL. Ministério da Saúde. Gestão do trabalho na saúde. Coleção Pro-gestores: Para entender a gestão do SUS. v. 05, Conselho Nacional de Secretários de Saúde/ CONASS. Brasília, 2007.
BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes Operacionais dos Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília: MS (Série A. Normas e Manuais Técnicos); 2006.
CAMPOS, G. W. S. Um método para análise e co-gestão de coletivos. São Paulo: Editora Hucitec; 2000.
EGRY, E.Y. (org.). Necessidades em saúde na perspectiva da atenção básica: guia para pesquisadores. São Paulo: Dedone Editora; 2008.
EGRY, E.Y. et al. Instrumentos de avaliação de necessidades em saúde aplicáveis na estratégia de Saúde da Família. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 43, n. esp.2, dez. 2009.
FORTES, A. Subsídio para implantação do sistema de gerenciamento. Assessoria em Planejamento Estratégico. In: HARTZ, Z. M. A.; SILVA, L. M. V. (orgs).Avaliação em Saúde: dos modelos teóricos à prática na avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador: EDUFBA; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.
GANDIN, D. A prática do Planejamento participativo. Petrópolis: Editora Vozes; 2002.
Cronograma de Aulas

Início

Fim

Descrição
06/03/2020
06/03/2020
Encontro presencial: o planejamento e as práticas de saúde
13/03/2020
20/03/2020
Planejamento, política e gestão da atenção
27/03/2020
03/04/2020
O planejamento da Atenção Básica
17/04/2020
24/04/2020
Diagnóstico situacional do território
24/04/2020
24/04/2020
II Encontro Telepresencial
08/05/2020
22/05/2020
Avaliação da Atenção Básica: conceitos, princípios, metodologias. A expeiência do PMAQ
05/06/2020
12/06/2020
Construção do Plano de Intervenção
19/06/2020
26/06/2020
Sistematização do Plano de intervenção
03/07/2020
24/07/2020
Atividades integradas com Atenção Integral ao Cuidado, Educação na Saúde e Construção do Conhecimento
31/07/2020
07/08/2020
Produção de sínteses sobre a disciplina
21/08/2020
21/08/2020
III Encontro telepresencial
04/09/2020
04/09/2020
Avaliação da discplina e autoavaliação
Avaliações
Data Descrição
24/04/2020 1ª Avaliação
04/09/2020 2ª Avaliação
: Referência consta na biblioteca
Referências Básicas
Tipo de material Descrição
Referências Complementares
Tipo de material Descrição
Notícias da Turma

Nenhum item foi encontrado

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | sigjb06.ufpi.br.instancia1 vSIGAA_3.12.1082 13/06/2024 18:19