News

Banca de QUALIFICAÇÃO: SARA RAQUEL CARDOSO TEIXEIRA DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SARA RAQUEL CARDOSO TEIXEIRA DE SOUSA
DATA: 27/05/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 338
TÍTULO: O PROCESSO DE VERTICALIZAÇÃO URBANA E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO DE TERESINA - PIAUÍ: AGENTES, PROCESSOS E AS TENDÊNCIAS ATUAIS DE EXPANSÃO DOS EMPREENDIMENTOS VERTICAIS
PALAVRAS-CHAVES: Geografia Urbana. Segregação espacial. Áreas Verticalizadas. Teresina.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
ESPECIALIDADE: Geografia Urbana
RESUMO:

As últimas quatro décadas apresentaram mudanças significativas na organização espacial urbana mundial, em especial as ocorridas em decorrência da Revolução Industrial. Assim sendo, os estudos sobre as dinâmicas do espaço urbano tornaram-se discussões evidentes e significativas na Geografia Urbana. Neste contexto, os agentes produtores e reprodutores do espaço determinam a valorização e desvalorização de locais nas cidades, destacando-sea ação do Estado e dos promotores imobiliários. Estes contribuem para a especulação imobiliária urbana e para segregação espacial, especialmente em áreas verticalizadas da cidade. Os agentes imobiliários são estimulados a investir em padrões arquitetônicos e urbanísticos que supervalorizam o metro quadrado em determinadas áreas urbanas. Apesar de urbanizar-se tardiamente, Teresina demonstrou ao longo de sua história, um padrão de verticalização que acompanha as mudanças econômicas ocorridas no país. Esta sofreu influências externas importantes que determinaram a verticalização de áreas específicas da cidade. Por volta de 1970 as edificações verticais comerciais começama ocorrerno centro da cidade. A produção de empreendimentos verticais residenciais se intensifica na década de 1980 e se consolida na década de 1990 nas zonas Centro eLeste de Teresina devido a investimento em infraestrutura e serviços, agregando valor inicialmente à áreas de alguns bairros, como Frei Serafim, Cabral, Ilhotas (zona Centro) e Jóquei e Fátima(zona Leste). Nos anos 2000 a zona Leste continua sendo a mais atrativa para construção de empreendimentos verticais, refletindo o grande dinamismo do setor imobiliário e o papel do Estado como responsáveis pela (re)estrutuação do espaço urbano. Assim, a pesquisa em questão objetivou analisar o processo de verticalização de Teresina no recorte temporal de 1970 à 2016, destacando as ações dos agentes produtores do espaço urbano e as tendências atuais dexpansão das áreas com empreendimentos verticais na cidadeNesse sentido, para alcançarmos o objetivo principal, traçamos objetivos específicos, sendo estes: Discorrer sobre temas norteadores dos estudos de Geografia Urbana, em especial o ambiente urbano, a verticalização e a segregação socioespacial, assim como as formas e agentes produtores condicionantes do espaço urbano; Descrever os aspectos geoambientais e socioeconômicos da cidade de Teresina – Piauí; Diagnosticar os principais agentes que conduzem o processo de verticalização no espaço urbano teresinense, destacando os aspectos normativos e as tendências do crescimento vertical na capital do Piauí. A metodologia proposta está dividida em quatro etapas, sendo estas: A primeira etapa constituiu-se da leitura de textos diversos como livros, periódicos científicos, teses, dissertações, monografias, materiais cartográficos e documentos oficiais que versam sobre a verticalização, a segregação,o espaço urbano, entre outros temas. A segunda etapa trata do levantamento de fontes documentais através de visita técnicasnos seguintes órgãos de Teresina: Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU´s), Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Piauí, Companhia de Águas e Esgotos do Piauí (AGESPISA), Conselho Regional de Corretores do Piauí (CRECI/PI), Aeroporto de Teresina – Senador Petrônio Portella (INFRAERO). Nesta etapa também foi realizado o levantamento fotográfico de áreas com expansão verticalem Teresina. A terceira etapa refere-se a tabulação dos dados coletados visando aconstrução de gráficos, tabelas e mapas utilizando o software QGIS 2.14, ArcGIS e AutoCAD, assim como aconfecção figuras com suporte do software Sketchup 2016. A quarta etapa trata da discussão dos dados (através de texto escrito) para apresentação parcial dos resultados (qualificação) e resultados finais (defesa). Constatou-se na pesquisa uma nova tendência da verticalização de Teresina, tal como a expansão de edificações verticais em outros bairros, como nas zonas Sul, Sudeste e Norte, apesar da maior concentração de empreendimentos verticais ocorrer ainda nas zonas Centro e Leste da cidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Externo à Instituição - CARLOS RERISSON ROCHA DA COSTA - UESPI
Externo à Instituição - IRLANE GONCALVES DE ABREU - UESPI
Notícia cadastrada em: 12/05/2017 07:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 04:07