News

Banca de DEFESA: MARCOS AURELIO GOMES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS AURELIO GOMES DA SILVA
DATA: 18/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE VÍDEO 2- CCHL
TÍTULO: A UTILIZAÇÃO DA ESCALA GEOGRÁFICA COMO FORMA DE ABORDAGEM DE CONTEÚDOS: UMA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO ADOTADO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)
PALAVRAS-CHAVES: Educação de Jovens e Adultos (EJA). Livro didático. Escala geográfica
PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
RESUMO:

A escala geográfica, aceita por muitos autores com uma categoria-chave nos estudos do espaço, adquire particular relevância como estratégia de abordagem dos conteúdos do livro didático de Geografia. Assim, o presente trabalho de pesquisa tem o objetivo geral de analisar como esse recurso teórico-metodológico é utilizado nos livros didáticos adotados na Educação de Jovens e Adultos (EJA) do município de Teresina (PI). A Pesquisa se apoia no pressuposto que o livro didático, mesmo em nossos dias, é uma ferramenta de ensino-aprendizagem bastante utilizada por alunos e professores em sala de aula, e fundamenta-se na posição de autores como Pontuschka (1984), Lajolo (1996), Castrogiovanii e Goulart (2001), Schäffer (2001), Kaercher (2001) e Silva, Souza e Duarte (2006), que admitem o papel ainda preponderante do livro-texto no processo ensino-aprendizagem na Educação Básica. Considerou-se que o problema se apresenta ainda maior na EJA, por se tratar de uma modalidade de ensino, via de regra, bastante negligenciada pelo poder público.  Desta forma, avaliou-se necessário, dentre os objetivos específicos: (a) Examinar as propostas curriculares de Geografia para EJA no Brasil e no município de Teresina; (b) averiguar se o livro didático proporciona aos sujeitos-alunos o conhecimento necessário à compreensão do seu espaço de vivência (o lugar) e o exercício de sua cidadania; (c) Constatar a ocorrência da multiescalaridade na abordagem dos fenômenos socioespaciais no âmbito dos capítulos do Livro Didático de Geografia; (d) verificar se o texto didático evidencia as articulações entre os diferentes níveis de análise espacial; (e) e sistematizar os dados relativos ao uso da escala geográfica nas coleções selecionadas. Para alcançar os objetivos supracitados procurou-se apoio nas teorias defendidas por autores que abordam o problema da escala geográfica, como Racine, Raffestin e Ruff (1983), Castro (1992), Valenzuela (2004) e Haesbaert (2015). No campo do ensino de Geografia, recorreu-se aos nomes de Straforini (2002), Nogueira e Carneiro (2009), Oliveira (2009; 2011) e Silva (2013/2014). Os textos destes e de outros estudiosos nortearam o estudo no sentido da conceptualização e tipificação de escala geográfica. A metodologia utilizada na pesquisa foi da análise de conteúdo (AC) com o auxílio do computador, tendo como suporte teórico os trabalhos de Richardson (1985), Teixeira e Becker (2001), Morais (2003), Flick (2004), Bauer e Gaskell (2005), Kelle(2005), Lage e Godoy (2008) e Bardan (2016). Assim, utilizou-se um pacote de software da versão CAQDAS (Computer-assisted Qualitative Data Analysis Software), denominado NUD*IST, desenvolvido por Richards e Richards, no final dos anos 1990, e que funciona com base no princípio da categorização/codificação do texto. A grande vantagem na utilização desse tipo de software relaciona-se as facilidades oferecidas ao permitir que se faça a análise do corpus de forma confiável, célere e sistematizada. Os relatórios fornecidos pelo programa permitiram concluir, em termos gerais, que os livros-texto analisados, dão pouca importância a abordagem em escala local e negligenciam várias possibilidades de articulações escalares, estratégia que dificulta a compreensão do espaço geográfico em sua totalidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2280398 - ARMSTRONG MIRANDA EVANGELISTA
Interno - 1167728 - CARLOS SAIT PEREIRA DE ANDRADE
Interno - 1087152 - JOSELIA SARAIVA E SILVA
Externo ao Programa - 276280 - MARCOS ANTONIO DE CASTRO MARQUES TEIXEIRA
Externo à Instituição - EVAINE MARIA TONINI - UFRGS
Notícia cadastrada em: 05/07/2018 19:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 09:45