News

Banca de DEFESA: VÂNIA VIEIRA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VÂNIA VIEIRA LIMA
DATA: 26/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Videoconferência do CCHL (sala 006)
TÍTULO: PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E POLÍTICAS HABITACIONAIS EM TERESINA-PI: VELHOS DILEMAS
PALAVRAS-CHAVES: Produção do Espaço. Habitação. Políticas habitacionais. Teresina.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
ESPECIALIDADE: Geografia Urbana
RESUMO:

No espaço urbano a habitação configura como uma mercadoria susceptível aos mecanismos de mercado. O valor varia na relação entre localização, serviços coletivos e infraestruturas próximas. Em decorrência desse dinamismo do mercado, a população de baixa renda tende a morar nas periferias das cidades, onde a habitação possui menor valor. Nesse espaço produz diversas formas de moradia, como a autoconstrução, favelas e ocupações. A fim de equacionar esse problema, o Estado criou políticas públicas habitacionais, sobretudo a partir da segunda metade do século XX. Dentre as intervenções estatais no setor habitacional destaca-se a atuação do Banco Nacional da Habitação (BNH) e do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Ambos atuaram e atuam na expansão periférica das cidades brasileiras, por meio da construção de conjuntos/empreendimentos habitacionais, em sua maioria com ausência ou ineficiência de infraestrutura urbana que atenda a população residente. Teresina se insere nesse contexto uma vez que os conjuntos habitacionais, decorrentes do BNH e os empreendimentos habitacionais do PMCMV, tem forte atuação na expansão da cidade. Diante do exposto, a pesquisa objetiva analisar a influência das políticas habitacionais do BNH e do PMCMV para a expansão do espaço urbano em Teresina, evidenciando a problemática da infraestrutura urbana no Conjunto Promorar e no Residencial Orgulho do Piauí. Para tanto, propõem-se como objetivos específicos: I) Relatar os aspectos da produção do espaço urbano elencando os agentes e os processos socioespaciais relacionados com a discussão sobre a habitação e déficit habitacional; II) Discutir a evolução da política habitacional em escala nacional, destacando desde a implantação do BNH até o PMCMV; III) Debater a influência da política habitacional na expansão urbana de Teresina a partir da construção de moradias populares proveniente do BNH e do PMCMV; IV) Diagnosticar a problemática da infraestrutura urbana pelas políticas habitacionais do BNH e do PMCMV no Conjunto Promorar e no Residencial Orgulho do Piauí. Diante dos objetivos propostos, a pesquisa orienta-se a partir de uma perspectiva metodológica associada a abordagem dialética e ao método comparativo, como a utilização dos seguintes procedimentos metodológicos: pesquisa bibliográfica, documental e de campo, com a realização de entrevistas com os moradores do Conjunto Promorar e do Residencial Orgulho do Piauí, assim como registro fotográfico e produção de material cartográfico visando a espacialização do objeto de estudo investigado. A política habitacional desenvolvida pelo BNH e PMCMV em Teresina atuaram no crescimento periférico da cidade, principalmente no sentido sul, onde concentra o maior número de unidades construídas. Esse fato contribui para o surgimento de diversos problemas de infraestrutura urbana para os residentes de moradias populares, como é o caso do Conjunto Promorar e Residencial Orgulho do Piauí. Com exceção a forma física da moradia, de problemas na limpeza pública e de problemas estruturais, os problemas são comuns em ambos os casos, principalmente no início da ocupação. Na análise dos equipamentos e serviços urbanos constatou-se que o transporte público é o mais citados entre os moradores como carente de melhorias. Portanto, os problemas detectados é resultado de uma política habitacional que privilegia o interesse do capital.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Interno - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Externo à Instituição - CARLOS RERISSON ROCHA DA COSTA - UESPI
Notícia cadastrada em: 06/02/2019 14:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 01:07