Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NÁGILA SILVA ALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NÁGILA SILVA ALVES
DATA: 13/06/2024
HORA: 14:00
LOCAL: ON LINE (RELATÓRIO)
TÍTULO: CONHECIMENTOS, ATITUDES E PRÁTICAS DE PESSOAS PRIVADAS DE LIBERDADE EM RELAÇÃO À PREVENÇÃO E CONTROLE DA COVID-19
PALAVRAS-CHAVES: Covid-19. Prevenção de Doenças. Prisões. Prisioneiros. Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde.
PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

Introdução: Em todo o mundo, as pessoas privadas de liberdade estão entre as que apresentam piores condições de vulnerabilidade sanitária e de adoecimento, devido às condições de confinamento inadequadas em que vivem por períodos prolongados de tempo, assumindo maior predisposição ao risco de contágio e transmissão da Covid-19. Nessa situação, ações preventivas de enfrentamento devem ser realizadas para controlar o número de casos e prevenir contaminação em massa. Objetivo: Analisar os conhecimentos, atitudes e práticas de pessoas privadas de liberdade em relação à prevenção e controle da Covid-19. Métodos: Estudo transversal e analítico decorrente de um inquérito sorológico de base institucional em sete unidades prisionais com maior número de detentos em diferentes regiões do Piauí, com uma amostragem probabilística por conglomerado de 857 detentos. A coleta de dados ocorreu de abril a outubro de 2022, a partir de um questionário adaptado constituído por perguntas referentes a variáveis sociodemográficas, características da cela, conhecimento, atitude e prática em relação à Covid-19, sendo as três últimas classificadas por escores. As análises dos dados foram realizadas com o uso do Stata. Utilizaram-se testes de associação, razão de prevalência e regressão de Poisson com variância robusta, com respectivos intervalos de confiança de 95%, e significância estatística fixada em p<0,05. Resultados:  A população privada de liberdade apresentou bom desempenho quanto à prevenção e controle da Covid-19. A melhor classificação foi na dimensão Atitude, seguida da Prática. O Conhecimento sobre a doença e sua forma de prevenção e controle apresentou menor escore comparado aos demais.  O conhecimento, atitude e prática adequada em relação a prevenção e controle da Covid-19 pelos detentos demonstrou associação significativa com a faixa etária de 25 a 34 anos, religião evangélica/não ter religião, nível de escolaridade fundamental completo ou mais, sexo masculino, com companhia conjugal, disponibilidade de água e sabão e uso de máscaras faciais. Conclusão: Estes achados demonstram a necessidade da adoção de estratégias educativas, implementando ações em saúde para que as pessoas privadas de liberdade possam reorganizar suas práticas e reduzir os riscos de adoecimento. Ademais, pode ser útil para a formulação de estratégias de prevenção e assistência e elaboração de políticas públicas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 662.467.844-53 - ALBERTO PEREIRA MADEIRO - UESPI
Interno - 2241271 - JARDELINY CORREA DA PENHA
Presidente - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Interno - 3367697 - MARCIO DENIS MEDEIROS MASCARENHAS
Notícia cadastrada em: 13/05/2024 16:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 21/07/2024 07:00