Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NÁGILA IANE PACHECO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NÁGILA IANE PACHECO
DATA: 18/06/2024
HORA: 14:30
LOCAL: Sala PPGBiotec
TÍTULO: NANOPARTÍCULAS POLIMÉRICAS INCORPORADAS COM MEROPENEM – DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE CONTRA ISOLADOS CLÍNICOS MULTIRRESISTENTES
PALAVRAS-CHAVES: Complexo polieletrolítico; Nanopartículas poliméricas; Multirresistência; Carbapenêmicos
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Biomedicina
RESUMO:

 A resistência de bactérias patogênicas aos agentes antimicrobianos está evoluindo desde o advento da terapia antimicrobiana e continua sendo um grave problema na prática clínica. É imprescindível o desenvolvimento de novos agentes terapêuticos, que pode ser baseado em produtos naturais, que são compostos químicos originários da fauna e flora, a fonte primordial para a descoberta de novas moléculas bioativas, importante nos campos da ciência e tecnologia. Entre os numerosos polissacarídeos da natureza, a goma do cajueiro e a goma do angico vermelho se destacam como heteropolissacarídeos ácidos, e caracterizam-se por serem solúveis em água, com potencial para aplicações biomédicas e farmacológicas, incluindo a síntese de nanopartículas. Os β-lactâmicos possuem um papel importante dentre os agentes antimicrobianos, entre os carbapenêmicos mais utilizados está o meropenem, antimicrobiano eficaz de amplo-espectro, usado para tratar infecções hospitalares complicadas. O objetivo desse estudo foi realizar complexação polieletrolítica com a goma do angico quaternizada e a goma do cajueiro carboximetilada, para incorporação do meropenem, bem como avaliar o potencial antibacteriano das nanopartículas. Foram sintetizados 18 sistemas, após caracterização por DLS, PDI e potencial Zeta. Após estas primeiras análises, alguns sitemas foram escolhidos para avaliação da estabilidade, caracterização por FTIR, microscopia de força atômica, avaliação da atividade antibacteriana e hemólise contra isolados clínicos multirresistentes, de acordo com a CLSI (2020). O melhor sistema apresentou tamanho de 56,24 ± 4,67 nm, PDI de 0,198, potencial zeta de +10,6 mV, morfologia esférica e potencial antibacteriano contra Acinetobacter baumannii produtora de carbapenemase (VIM), Klebsiella pneumoniae produtora de carbapenemase (NDM) e beta-lactamase de espectro estendido (ESBL) e Pseudomonas aeruginosa multidroga resistente. Quanto ao potencial hemolítico, o sistema nanoestruturado apresentou 1,49% de hemólise. Com os resultados obtidos até o momento, foi possível observar que concentração do polímero influencia na nanopartícula obtida e que os sistemas obtidos possuem potencial antibacteriano, com menor toxicidade, no modelo estudado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 995.992.603-68 - ALYNE RODRIGUES DE ARAUJO - UFPI
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Externo ao Programa - 2988366 - SÁVIA FRANCISCA LOPES DIAS
Notícia cadastrada em: 07/06/2024 09:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 22/07/2024 23:56