Notícias

Banca de DEFESA: RAYDELANE GRAILEA SILVA PINTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYDELANE GRAILEA SILVA PINTO
DATA: 26/04/2023
HORA: 14:30
LOCAL: Sala do Conselho do Centro de Ciências da Saúde da UFPI
TÍTULO: Estudo da infecção natural por Leishmania infantum em Lutzomyia longipalpis de área endêmica para leishmaniose visceral durante a pandemia de COVID-19
PALAVRAS-CHAVES: leishmaniose visceral; flebotomíneos; Lutzomyia longipalpis; infecção natural; Leishmania infantum
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Introdução: A leishmaniose visceral é uma doença infecciosa parasitária grave com alto risco
de óbito. No Novo Mundo, é causada pelo parasita Leishmania infantum e transmitida pela
picada de fêmeas de flebotomíneos Lutzomyia longipalpis. Objetivo: Analisar a infecção
natural por Le. infantum em L. longipalpis em área endêmica para leishmaniose visceral durante
a pandemia de COVID-19. Metodologia: Foram realizadas capturas de flebotomíneos em 12
residências de três bairros da cidade de Caxias – MA, no período de fevereiro a maio de 2022,
com armadilhas luminosas tipo CDC, instaladas no peridomicílio. O DNA das fêmeas de
Lutzomyia longipalpis foi extraído pelo método fenol-clorofórmio e a infecção natural por
Leishmania infantum foi avaliada por PCR. Foi aplicada estatística descritiva por meio de
frequência absoluta e relativa, média, desvio padrão, mediana e intervalo interquartil. Para
comparar as médias de concentração e pureza de DNA entre as fêmeas ingurgitadas e não
ingurgitadas foi utilizado o teste t de Student, considerando estatisticamente significativos
valores de p ≤ 0,05. Resultados: Do total de 3.509 espécimes de Lutzomyia longipalpis, 503
fêmeas, 327 (65%) ingurgitadas e 176 (35%) não ingurgitadas, foram dissecadas para
identificação da infecção por Leishmania infantum. A concentração média de DNA das fêmeas
ingurgitadas foi de 83,3 ng/µl e mediana de 88,5 ng/µl, e das fêmeas não ingurgitadas foi de 60
ng/ µl e mediana de 63,4 ng/ µl, no entanto, não houve diferença estatisticamente significativa
entre os grupos (p > 0,05). Com relação à pureza de DNA, para a razão 260/280 nm, ambas as
fêmeas ingurgitadas e não ingurgitadas apresentaram valores ideais (1,8-2,2), com diferença
estatisticamente significativa (p < 0,0001); para a razão 260/230 nm, nenhum dos grupos
apresentou valores ideais (1,8-2,2), no entanto, houve diferença estatisticamente significativa
entre as fêmeas ingurgitadas e não ingurgitadas (p < 0,0001). Não foi detectada infecção natural
por Leishmania infantum em nenhum dos grupos no período estudado. Conclusão: No período
da pandemia de COVID-19, não foram identificados flebotomíneos Lutzomyia longipalpis
naturalmente infectados por Leishmania infantum em Caxias – MA por meio da técnica de PCR.
Portanto, é necessária a realização de reações de PCR utilizando diferentes concentrações de Le.
infantum no intuito de reduzir as chances de falsos negativos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo ao Programa - 1568718 - MARIA REGIANE ARAUJO SOARES
Externo ao Programa - 1026013 - VICTOR AUGUSTO ARAUJO BARBOSA
Externo à Instituição - MAURO ROBERTO BIA DA SILVA - UESPI
Notícia cadastrada em: 14/04/2023 09:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 15/07/2024 15:07