• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 13:45. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
Notícias

Banca de DEFESA: FRANCILEUZA CIRÍACO DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCILEUZA CIRÍACO DA CRUZ
DATA: 30/04/2024
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Parasitologia e Microbiologia.
TÍTULO: INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM PACIENTES ONCOLÓGICOS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO NORDESTE BRASILEIRO
PALAVRAS-CHAVES: Infecção Hospitalar, Neoplasias, Resistência Bacteriana a Múltiplas Drogas, COVID-19.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

O câncer constitui-se, na atualidade, como uma das principais causas de morte, sendo ainda uma barreira importante para o aumento da expectativa de vida em todos os países do mundo. Nos pacientes oncológicos, o desenvolvimento de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) é motivo de grande preocupação pelo aumento da morbimortalidade, marcado pela intensificação da disseminação de microrganismos multirresistentes no ambiente hospitalar. Dessa forma, objetivou-se descrever os fatores clínicos e socioepidemiológicos relacionados com o desenvolvimento de IRAS em pacientes oncológicos assistidos em hospital de referência. Os dados sociodemográficos e clínicos dos pacientes oncológicos foram obtidos por análise de prontuários eletrônicos. As amostras de bacilos gram-negativos foram testadas quanto a presença das carbapenemases pelo NG-Test® CARBA-5. No período investigado, 111 pacientes oncológicos desenvolveram IRAS durante a internação. A maioria dos indivíduos eram mulheres (66%), com média de idade de 58 anos (89,2%), pardos (43,2%), casadas (41,4%), com escolaridade em nível de ensino médio incompleto (58,5%). Observou-se que 71,2% apresentavam alguma comorbidade, destacando-se a hipertensão arterial (37,8%) e HAS associado a diabetes (18%). Quanto aos aspectos oncológicos, o câncer do colo do útero foi a neoplasia mais frequente (15,3%), observando-se uma associação entre a não realização de tratamento quimioterápico e o desfecho de óbito por IRA. Houve predominância de infecções por Bacilos Gram-Negativos (61,2%), obtidos de infecções primárias da corrente sanguínea (24,3%) e associação ao desfecho óbito em 58,1% dos casos. Verificou-se que 18% dos isolados clínicos foram classificados como produtores de Beta-Lactamase de Espectro Estendido, 4% produtores de KPC, 2% de NDM e 2% produtores de duas carbapenemases distintas. Pode-se concluir que indivíduos internados para tratamento de câncer e apresentando comorbidades tiveram maior risco de apresentar IRAS por BGN, trazendo impacto negativo nas taxas de mortalidade. Medidas de identificação e contenção de disseminação através de precauções de contato são importantes, haja vista que a identificação de resistência por produção de carbapenemases e ESBL limitam as opções do arsenal terapêutico.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1581960 - DANIELA REIS JOAQUIM DE FREITAS
Presidente - 1458815 - JOSIE HAYDEE LIMA FERREIRA PARANAGUA
Externo à Instituição - MAYARA LADEIRA COÊLHO - UNIFACID
Interno - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 19/04/2024 16:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 22/07/2024 13:45