Notícias

Banca de DEFESA: CAIO LEONARDO DA SILVA SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAIO LEONARDO DA SILVA SOUSA
DATA: 22/04/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do CCHL
TÍTULO: A REPERCUSSÃO DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL ATRAVÉS DOS JORNAIS PIAUIENSES (1914-1918).
PALAVRAS-CHAVES: Primeira Guerra Mundial; Elite Intelectual; Piauí; Notícias; Conflito.
PÁGINAS: 157
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil República
RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo propor um estudo sobre a Repercussão da
Primeira Guerra Mundial nos jornais Piauienses, entre os anos de 1914 a 1918, que foram os
anos que perdurou o conflito no cenário global. O Piauí, apesar de ser um lugar longínquo do
continente europeu em que incidia o front de guerra, foi bastante afetado pelo conflito, tendo
detrimentos e mudanças em diversos setores da sociedade, como no aspecto econômico,
estrutural, político e social, buscando, dentro do contexto mundial, mostrar as mudanças e
transformações ocorridas no local decorrentes da guerra. Comumente pouco estudada,
sobretudo, na historiografia piauiense, a Primeira Guerra Mundial, digna de uma pesquisa, nos
possibilita visualizar que os prejuízos e modificações provocadas pelo conflito não ficaram
restritas apenas ao continente europeu, alastrando-se por todo o mundo, chegando assim ao
Piauí, que teve suas economia bastante afetada à medida que viu suas exportações diminuírem
com o bloqueio naval imposto pela Alemanha, provocando a queda da venda da borracha de
maniçoba e a cera de carnaúba, principais produtos de exportação da economia piauiense nos
primeiros anos de guerra. Sendo assim, buscaremos mostrar o Piauí como local de
transformações provocadas pela guerra, fazendo assim parte do círculo dos acontecimentos e
mudanças. Os nossos intelectuais desde o início do conflito, logo debruçaram-se no debate à
cerca das causas, perigos e mudanças da eminente guerra, usando os jornais para produzir e
reproduzir matérias, expressar suas opiniões, análises e incluir o Piauí no debate sobre o conflito
assim como nas principais capitais e cidades do Brasil. Essa prática levaria esse mesmo seleto
grupo de intelectuais locais a criar no ano de 1917 a Academia Piauiense de Letras (APL),
órgão máximo das letras no Piauí, de extrema importância para o desenvolvimento da
intelectualidade piauiense, sendo fruto das diversas mudanças ocorridas nesse período. As
principais fontes utilizadas foram jornais de ampla circulação local, como: Diário do Piauí (PI),
Aviso (PI), A Cruz (PI), Chapada do Corisco (PI), O Tempo (PI), Alto Longá (PI); as mensagens
governamentais enviadas a Assembleia Legislativa e Conferências ministradas por intelectuais
locais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551249 - JOHNY SANTANA DE ARAUJO
Interno - 1783526 - FRANCISCO GLEISON DA COSTA MONTEIRO
Externo à Instituição - TELMA BONIFÁCIO DOS SANTOS REINALDO - UFMA
Notícia cadastrada em: 31/03/2022 16:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 08/08/2022 05:01