Notícias

Banca de DEFESA: JOELMA DE ARAÚJO SILVA RESENDE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOELMA DE ARAÚJO SILVA RESENDE
DATA: 15/05/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Video II
TÍTULO:

MULHER E IDENTIDADE NACIONAL EM O PAÍS SOB MINHA PELE, DE GIOCONDA BELLI.


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura latino-americana. Gioconda Belli. O país sob minha pele. Gênero. Identidade nacional.


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
RESUMO:

O país sob minha pele, romance corpus desta pesquisa, é constituído pelas memórias de Gioconda Belli. A autora relembra sua criação em uma família rica; revela como participou da guerrilha sandinista, que derrubou a ditadura de Somoza; rememora a reconstrução da Nicarágua após a vitória das tropas revolucionárias; e relata também sua vida amorosa. O objetivo geral da pesquisa é examinar a participação da mulher no processo de construção da identidade nacional na Nicarágua, como apresentado por Gioconda Belli em O país sob minha pele. Como objetivos específicos, pretende-se examinar as instituições patriarcais que constroem e reproduzem papeis de gênero fixos; investigar a participação da mulher no movimento revolucionário na Nicarágua; e investigar a emancipação sociopolítica da mulher como retratada no romance. O trabalho foi desenvolvido através de pesquisa qualitativa bibliográfica, que traz a abordagem principalmente sobre o patriarcalismo e as instituições patriarcais que perpetuam a dominação do homem sobre a mulher; é apresentada também a busca por emancipação feminina, através das atitudes de Belli e outras mulheres que se apresentam no livro. Nessa análise são citados autores como Zinani (2006), Spivak (2012), Touraine (2007), dentre outros. Também é feita uma análise da relação entre mulher e nação, dando-se ênfase à participação da mulher na luta armada. Para tanto, cita-se Zinani (2010), Mattoso (2010), Walby (2000), dentre outros pesquisadores. Aborda-se também a participação da mulher na política, uma vez que Gioconda Belli participou ativamente do movimento sandinista, acreditando que seu país poderia ser melhor governado sem os ditadores da família Somoza; essa participação representa um avanço no comportamento da mulher que sempre viveu reclusa no ambiente doméstico. Percebe-se que, apesar do patriarcalismo e da reclusão em uma vida doméstica, a mulher tenta conquistar um espaço na vida social, lutando pelo que considera mais justo para seu país, sendo assim, agente de transformação social. Percebe-se também que, apesar de não reconhecido pela historiografia oficial, a mulher participa do projeto de construção nacional na Nicarágua, como demonstrado por Gioconda Belli.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1520279 - FRANCISCA VERONICA CAVALCANTE
Interno - 341849 - MARIA CRISTINA DE TAVORA SPARANO
Presidente - 1192205 - SEBASTIAO ALVES TEIXEIRA LOPES
Notícia cadastrada em: 29/04/2015 10:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 17/06/2021 14:06