Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA RAQUEL SOARES BORGES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA RAQUEL SOARES BORGES
DATA: 15/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Video II
TÍTULO:

Das ruas para a Folha: a discursivização sobre a (re)construção da imagem da posição sujeito “manifestante” no Brasil


PALAVRAS-CHAVES:

Discursivização. Imagem. Posição-sujeito manifestante.


PÁGINAS: 105
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Pêcheux objetivou, a partir da análise do funcionamento discursivo, explicitar o processo de significação através dos mecanismos históricos de determinação do dizer. E é nessa conjuntura teórico-epistemológica que se pretende compreender o movimento do político da/na linguagem, tendo como corpus quinze cartuns publicados pelo jornal Folha de S.Paulo acerca das manifestações populares ocorridas em junho de 2013 no Brasil, considerando os efeitos de sentido produzidos, sua circularidade, circunscrição, a partir do investimento analítico da/na imagem. Nosso empreendimento enfoca principalmente o modo como os protagonistas desse acontecimento são construídos, e o procedimento de análise será intercambiado pela relação parafrástica e metafórica, além da remissão do intradiscurso no interdiscurso para compreender as posições-sujeito a partir das quais se enuncia nestes exemplares da Folha. O arquivo mostra diferentes materialidades, que produzem um acontecimento, significando uma intersecção entre a memória discursiva e a atualidade, que ajudam a constituir uma nova interpretação sobre um evento histórico (ORLANDI, 2012a). Nesse contexto, os cartuns produzem efeitos de sentido responsáveis por reconfigurar, (re)formular acontecimentos, tornando-os outros na atualidade, fazendo surgir uma historicidade constitutiva (ORLANDI, 2012a). Assim, torna-se relevante compreender como as ações dos manifestantes trazem à tona um passado reconfigurado, a partir do recorte, da busca pela memória discursiva silenciada na superfície da produção imagética. Nota-se, assim, contribuições de como ver a língua em seu funcionamento e como esta se materializa na ideologia, para compreender que o sentido não é dado nas palavras, mas construído pela/na história, pela memória discursiva e pelo contexto de uso da língua. Portanto, esta pesquisa torna-se relevante por visar um gesto de leitura para além da MESTRADO ACADÊMICO EM LETRAS / CCHL Campus Universitário Petrônio Portela Bairro Ininga – Teresina – Piauí – CEP 64049-550 Telefones: (86) 3215-5794 / 3215-5942 – E-mail: posletras@ufpi.br superfície discursiva, a partir da contribuição de autores como Courtine (2009), (2006); Indursky (2003), (2013), (2015); Lopes (2009); Maldidier (2003); Maricato (2013); Morgenstern (2015); Orlandi (2006), (2008), (2012a), (2012b), (2012c), (2014), (2015), entre outros caros à discussão.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GRECIELY CRISTINA DA COSTA - UNIVAS
Interno - 1308749 - JOAO BENVINDO DE MOURA
Presidente - 1790769 - MARAISA LOPES
Notícia cadastrada em: 29/02/2016 11:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 10:56