Notícias

Banca de DEFESA: ROSÂNGELA ANDRADE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSÂNGELA ANDRADE LIMA
DATA: 12/04/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Video II
TÍTULO:

A leitura e construção de sentido do grafite a serviço do letramento multissemiótico. 


PALAVRAS-CHAVES:

Letramento Multissemiótico, construção de sentido, Grafite, Gramática do Design Visual.


PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

A visão multissemiótica de letramento está inserida na perspectiva da Semiótica Social e refere-se ao processo de significação como parte da construção social da linguagem, considerando a circulação de significados com origens, funções sociais, contextos e efeitos culturalmente, historicamente e ideologicamente definidos (KRESS; van LEEUWEN, 1996; 2001; 2006). Neste sentido, o objetivo geral da presente dissertação foi apresentar os resultados de uma investigação sobre a contribuição da leitura do grafite para o desenvolvimento do letramento multissemiótico em uma turma do 9º ano do ensino fundamental de uma escola pública da cidade de Teresina. Os objetivos específicos do trabalho são foram promover atividades de letramento multissemiótico em ambiente escolar por meio do contato com grafites espalhados na cidade; orientar os alunos sobre estratégias de interpretação de grafites de rua por meio da metafunção interacional da Gramática do Design Visual de Kress e van Leeuwen (2006) e verificar a influência das práticas de letramento multissemiótico na habilidade de leitura de textos imagéticos dos alunos. Os pressupostos teóricos que orientam o trabalho são a Semiótica Social (HODGE E KRESS, 1998), os Novos Estudos do Letramento (STREET 1984; HEATH, 1983), os Multiletramentos (COPE; KALANTZIZ, 2008), a Multimodalidade (KRESS e VAN LEEUWEN 2006; JEWITT, 2011) a Gramática do Design Visual (KRESS e VAN LEEUWEN, 2006) e o Grafite como prática de letramento (CRUZ, 2014). A pesquisa realizou-se través de um olhar qualitativo exploratório de caráter etnográfico, adotando a metodologia de observação participante. O corpus está constituído de entrevistas de grupos focais, gravações audiovisuais, fotografias e diários de campo oriundos das observações. Transcreveu-se o material coletado nas entrevistas para em seguida realizar a analise por meio de triangulação. Por meio da análise dos dados, constatou-se uma contribuição da leitura do grafite para o desenvolvimento do letramento multissemiótico. A potencialidade de um texto multimodal como o grafite contribuiu, não apenas para fazer com que os alunos sentissem sua realidade mais presente em sala de aula, mas, sobretudo, possibilitou que os mesmos apreendessem os textos pelo viés das diferentes formas de representação do significado, evidenciando com isso, a necessidade da inclusão de leitura multissemiótica em contexto escolar.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2521935 - FRANCISCO WELLINGTON BORGES GOMES
Externo à Instituição - MARIA ELDELITA FRANCO HOLANDA - UESPI
Externo à Instituição - PEDRO RODRIGUES MAGALHÃES NETO - UESPI
Notícia cadastrada em: 29/03/2016 14:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 00:22