Notícias

Banca de DEFESA: CRISTINA GOMES DE BRITO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTINA GOMES DE BRITO
DATA: 11/04/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Video I
TÍTULO:

Consagração ou Maldição? Alvina Gameiro no Campo de Produção Cultural da Literatura Brasileira e seu Romance Curral de serras (1980) como Bem Simbólico


PALAVRAS-CHAVES:

Campo de produção cultural. Mercado editorial. Alvina Gameiro. Curral de serras. Topoanálise.


PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
RESUMO:

O campo literário é um espaço existente no plano imaginário no qual os artistas e editores se posicionam. A posição hierárquica de um escritor no campo literário depende, entre outros fatores, do gênero, cor, condição social; e também da localização e porte da editora. Para um trabalho ser reconhecido depende da posição de seu autor na estrutura do campo intelectual. De acordo com a análise sociológica de Pierre Bourdieu (1968 e 1996) deve-se, primeiramente, analisar o campo do poder enquanto espaço macroscópico da obra; depois, em nível intermediário, uma análise do campo literário observando a postura dos agentes na luta pelo poder de consagração da obra e do autor; e finalmente no espaço menor a observação da trajetória do autor e de suas relações interpessoais com os demais integrantes do campo. Assim, esta dissertação tem como objetivo principal analisar o itinerário do romance Curral de serras (1980) de Alvina Gameiro a partir da teoria de Bourdieu; contudo, é feita uma leitura conjunta com Grande sertão: veredas (1956) de Guimarães Rosa para apontar possíveis similaridades entre ambos. Evocamos o Modernismo e também o Regionalismo mais recente para situar os dois romances e seus autores; a topoanálise para um estudo espacial da narrativa de Curral de serras (1980). As técnicas de pesquisa são bibliográficas e documental com vistas a compreender o campo literário e as lutas pelo espaço, para tanto se recorre a Bourdieu (1968 e 1996) e Speller (s.d.). Para entendimento do mercado editorial reporta-se a Reimão (1996) e Johnson (1995) e Hallewell (2012); os direcionamentos sobre o Modernismo localista estão em Moreira (2012) e Bolle (2004); para o Regionalismo: em Dalcastagnè (2012) e Albuquerque Jr. (1996); para a topoanálise: Borges Filho (2007) e Brandão (2013), sobre estudos comparados: Nitrini (2010) e Carvalhal (2010), dentre outros.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1550705 - LUIZIR DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - MARIA DO SOCORRO RIOS MAGALHAES - UESPI
Presidente - 1210460 - WANDER NUNES FROTA
Notícia cadastrada em: 30/03/2016 15:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 16/06/2021 16:37