Notícias

Banca de DEFESA: FRANCILDO PAIVA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCILDO PAIVA SANTOS
DATA: 15/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 317
TÍTULO: PRÁTICAS DE LETRAMENTO NO CAMPO: A RELAÇÃO DA ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA DOS COCAIS COM UMA COMUNIDADE RURAL NO PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Leitura. Escrita. Comunidade. Escola do campo. Letramentos.
PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Esta dissertação objetivou investigar como ocorre a relação das práticas de letramento em uma escola agrícola com a comunidade Chapada da Sindá, atendida por esta escola, no município de São João do Arraial-PI. A finalidade foi a compreensão das práticas relacionadas à leitura e à escrita dos alunos de uma turma do primeiro ano do Ensino Médio e de um grupo de seis alunos do terceiro ano, tanto na escola como na comunidade onde moram esses alunos. Na escola, observamos as práticas de letramento nas aulas da disciplina língua portuguesa do primeiro ano e em atividades de leitura e escrita nas atividades “serões” e do “caderno da realidade” o qual é escrito pelo aluno baseado em uma temática relacionada com o seu meio social. Em relação à turma do terceiro ano, observamos um grupo de seis alunos de turmas de cursos diversos, no que concerne à realização do PPJ (projeto profissional do jovem), uma atividade de leitura e escrita que deve ser realizada pelos alunos no último ano de formação. Na comunidade, analisamos práticas de letramento no contexto familiar de cinco alunos, que estão dispersos nas turmas do primeiro ano, e na igreja de Santa Luzia, bem como em atividades que envolvem o preenchimento de formulários e fichas para participação em programas do Governo Federal. A pesquisa teve uma orientação metodológica baseada na etnografia, que, segundo Bortoni-Ricardo (2005), permite ao pesquisador conhecer de perto os sujeitos da pesquisa e conviver com eles, com a intenção de conhecer o papel social de cada informante. Como instrumentos de coletas de dados, utilizamos questionários, entrevistas e gravações em áudio e vídeo, além das observações em sala de aula e nas residências dos alunos. O aporte teórico contempla autores que discutem a escrita em uma perspectiva social, entre os quais, Kleiman (1995, 2005); Mollica (2014), Street (2014), Lopes (2006),  entre outros.  O resultado de nossa investigação demonstrou a forte ligação da escola com a comunidade dos alunos, através das práticas de letramento, presentes nas pesquisas dos estudantes realizadas na comunidade e das discussões sobre as mesmas com a família nas atividades de PPJ e dos serões, a despeito da prática tradicional de ensino de Língua Portuguesa na escola restringir-se apenas ao modelo de letramento autônomo, contemplando quase sempre as atividades do livro didático e de cópias. O sucesso das práticas de letramento da escola com a comunidade resulta da preocupação com o êxodo rural, cujo objetivo é preparar os alunos para trabalhar na sua terra.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7422420 - CATARINA DE SENA SIRQUEIRA MENDES DA COSTA
Interno - 097.385.093-00 - IVEUTA DE ABREU LOPES - UESPI
Externo à Instituição - PEDRO RODRIGUES MAGALHÃES NETO - UESPI
Notícia cadastrada em: 07/03/2017 10:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 10:22