Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ISAEL DA SILVA SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISAEL DA SILVA SOUSA
DATA: 31/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 317
TÍTULO: Estudo Semântico-Enunciativo das Unidades Lexicais Novo e Velho: identidade e variação
PALAVRAS-CHAVES: TOPE; Identidade; Variação; Relações de Contrastes; Novo; Velho.
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

Esta pesquisa insere-se no quadro da Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas de Antoine Culioli (1990), mais especificamente, em uma linha de investigação desenvolvida por Franckel, Paillard e Vogué (2011), cuja tese fundamental defende que a variação das unidades lexicais pode ser reportada a princípios regulares. Partindo disso, temos como objetivo descrever o funcionamento semântico-enunciativo das unidades lexicais novo e velho. A constituição do corpus se dará com as ocorrências de novo e velho coletadas do meio eletrônico denominado Corpus do Português, a escolha do mesmo deu-se pelo fato de conter uma base de dados com cerca de um bilhão de palavras de páginas da web, o que nos possibilita um contato com diversos usos das unidades lexicais novo e velho em diferentes relações cotextuais. Em consonância com o posicionamento teórico adotado, a metodologia de análise se baseará na atividade de manipulação e reformulação de enunciados proposta por Franckel (2011). Temos como princípio de análise a prática de elaboração de glosas, isto é, um modo de parafrasagem com objetivo de promover reformulações minuciosas e controladas com vistas à identificação dos processos enunciativos de construção de sentido de novo e velho. Partindo da hipótese de que as unidades lexicais não são diretamente portadoras de sentido em si mesmas e que a identidade não se caracteriza por um valor, todavia, por um funcionamento, elencamos os seguintes questionamentos acerca das unidades lexicais novo e velho: Quais as operações realizadas durante o processo de estabilização da significação das unidades lexicais novo e velho? Como essas operações sustentam os valores de novo e velho que são estabilizados em um conjunto de enunciados?  Qual a regularidade de funcionamento das unidades lexicais novo e velho? De que maneira essa regularidade contribui para o estabelecimento ou não de relações de contraste entre das unidades lexicais novo e velho? Quais pontos aproximam ou distanciam as unidades lexicais novo e velho de uma relação de contraste?


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423483 - MARIA AUXILIADORA FERREIRA LIMA
Interno - 671.613.163-91 - JOANA DARC RODRIGUES DA COSTA - UFPI
Externo à Instituição - ALBANO DALLA PRIA - UNEMAT
Notícia cadastrada em: 31/08/2018 10:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 09:27