Notícias

Banca de DEFESA: CAROLINA AUREA CUNHA RIO LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAROLINA AUREA CUNHA RIO LIMA
DATA: 18/03/2019
HORA: 15:00
LOCAL: 323 L
TÍTULO: ESTRATÉGIAS RETÓRICAS DO GÊNERO PROJETO DE PESQUISA NAS ÁREAS DE LINGUÍSTICA E QUÍMICA: RELATANDO PESQUISAS PRÉVIAS, INDICANDO LACUNA DE PESQUISA E PROBLEMAS DO MUNDO REAL
PALAVRAS-CHAVES: Projeto de pesquisa.. Passos retóricos. Lacuna. Pesquisas prévias.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

O projeto de pesquisa é um gênero essencial na prática acadêmica, pois é exigido desde a graduação até em pedidos de bolsas de iniciação científica e de financiamento da pesquisa. O projeto também é utilizado pelas mais diversas áreas do conhecimento e cada uma delas se apropria desse gênero e o utiliza retoricamente da maneira mais adequada. Assim, nosso objetivo é analisar a realização dos passos retóricos ‘relatando pesquisa prévia’, ‘indicando lacuna de pesquisa’ e ‘indicando problemas no mundo real’ em projetos de pesquisa escritos por pesquisadores especialistas, considerando sua relação com a construção do projeto, com o problema de pesquisa e com as culturas disciplinares de Linguística e Química. Partimos das teorias sociorretóricas, mais precisamente de Miller (2012), Bazerman (2005) e Swales (1990, 2004, 2016), este nos forneceu os conceitos de propósito comunicativo, comunidade discursiva e movimentos e passos retóricos. Utilizamos a perspectiva sociocognitiva de Berkenkotter e Huckin (1995) para estabelecer as noções de dinamismo do gênero e sua relação com a comunidade discursiva. Para tratar da noção de pesquisa utilizamos Motta-Roth e Hendges (2010) e Prodonov e Freitas (2013), para abordar os propósitos comunicativos do projeto, Barros (2005) e Connor e Mauranen (1999). O corpus é formado por 12 projetos de Linguística e 12 projetos de Química que foram submetidos a agências de fomento, bolsas de iniciação científica e bolsas de produtividade por pesquisadores experientes. A análise textual constituiu-se da identificação e caracterização dos passos retóricos, em seguida, o estabelecimento das relações que possuem entre si, com o problema de pesquisa e com a construção do projeto de pesquisa. Para validar os dados da análise textual, uma entrevista semiestruturada foi com dois pesquisadores especialistas de cada área. Os resultados indicam que em ambas as áreas os problemas do mundo real podem motivar e evidenciar a necessidade da pesquisa. As descobertas da análise textual também sugerem que a área de Linguística não recorre, com alta frequência, aos passos que utilizam pesquisas prévias. Na área de Química, por outro lado, os pesquisadores conhecem as pesquisas prévias relacionadas ao seu tema e se posicionam sobre elas indicando as lacunas de pesquisa. Assim, na Linguística, a persuasão ocorre pelo domínio de conceitos e conhecimentos estáveis, enquanto em Química, a relevância do projeto ocorre muito mais pelo confronto e indicação de insuficiência em pesquisas prévias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BÁRBARA OLIMPIA RAMOS DE MELO - UESPI
Presidente - 1167642 - FRANCISCO ALVES FILHO
Interno - 2499575 - MARCELO ALESSANDRO LIMEIRA DOS ANJOS
Notícia cadastrada em: 01/03/2019 15:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 21/06/2021 17:30