Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROMANILTA JULIA DA ROCHA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROMANILTA JULIA DA ROCHA SANTOS
DATA: 23/10/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: Discursos e práticas de letramento das mães de pessoas com o transtorno do espectro autista.
PALAVRAS-CHAVES: Mães. Discursos. Autismo. Práticas Letradas
PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

O presente trabalho pretende analisar os discursos das mães de pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e atendidas no Centro Integrado de Educação Especial–CIES, em Teresina-PI. A ser denotados aspectos como o recebimento do diagnóstico pelas mães e os discursos delas, uma vez que o diagnóstico dessa síndrome comportamental aponta dois pontos equitativamente relevantes, pois, por um lado implica o enfrentamento a uma realidade vivenciada e, de outro turno, confere impacto sobre os discursos das pessoas que o obtém. O
objetivo, em razão disso, é investigar os discursos das mães das pessoas com autismo sobre o diagnóstico e como esses discursos influenciam as práticas letradas dessas mães. Serão convidadas a participar desse estudo oito mães de alunos que estão matriculados e frequentam o Atendimento Educacional Especializado, doravante AEE, da já citada instituição. Desse modo, toma-se por objeto de estudo os discursos das mães, com fins de investigar o seguinte problema de pesquisa: qual impacto do diagnóstico de pessoas com autismo nos discursos maternos? Para o desenvolvimento do estudo me embasarei, principalmente, nos aportes teóricos acerca da Análise do Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2001; MAGALHÃES, 2009; BATISTA JR, SATO E MELO, 2018), nos enfoques sobre os Novos Estudos do Letramento – NLS (STREET, 2014), e, ainda, acerca da síndrome do espectro autista (ZANON, BACKES e BOSA, 2014). Como eixo metodológico, optei pelo aporte da abordagem qualitativa em que a metodologia far-se-á como pesquisa de campo com o fito de verificar como são os discursos das mães em tal contexto, possibilitando observar quem são esses sujeitos que recebem o diagnóstico dos filhos, que ações passam a realizar e as interações que se estabelecem com participação no AEE. A base de dados inclui entrevistas semiestruturadas, coletas de artefatos (textos e áudios) e relatos de práticas. A análise tenciona tornar visível como, quando, onde e para que fins os discursos das mães e seus significados associados às suas práticas de letramento.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1308749 - JOAO BENVINDO DE MOURA
Presidente - 1731706 - JOSE RIBAMAR LOPES BATISTA JUNIOR
Externo à Instituição - MARIA APARECIDA RESENDE OTTONI - UFU
Notícia cadastrada em: 13/10/2020 16:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 01:21