Notícias

Banca de DEFESA: KATIUSCIA MACEDO CARDOSO BRANDÃO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KATIUSCIA MACEDO CARDOSO BRANDÃO
DATA: 29/04/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: FOLHA DE S. PAULO: DA CONSTITUIÇÃO DA IMAGEM DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NOS TEXTOS PUBLICADOS ENTRE 2018 E 2019
PALAVRAS-CHAVES: Discurso. Folha de S. Paulo. Deficiente. Pessoa com Deficiência.
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
RESUMO:

O discurso jornalístico responde a uma forte demanda social quanto à necessidade de se estar informado acerca de tudo o que ocorre em nossa sociedade. Esse espaço discursivo funciona a partir de uma ilusão de completude. No que se refere especificamente ao discurso sobre o sujeito com deficiência, tomado por Lopes (2016) como um sujeito diverso, observa-se que as discussões presentes em jornais têm sido ampliadas significativamente. Examinar o modo como este discurso sobre a pessoa com deficiência aparece nos jornais em um momento histórico tal qual o das eleições presidenciais brasileiras torna-se algo bastante salutar, principalmente, se considerarmos que tal eleição fortaleceu a polarização da sociedade brasileira. Esse estudo surge, então, da necessidade de buscar compreender o modo como estes discursos são constituídos e significam, partindo de um gesto de leitura menos ingênuo, com base na perspectiva teórica e nos procedimentos metodológicos da Análise de Discurso Materialista (AD). Desse modo, o presente trabalho tem como objetivo compreender o modo como o sujeito deficiente/pessoa com deficiência/diverso é construído a partir daquilo que é veiculado da Folha de S. Paulo, especificamente nos anos de 2018 e 2019. Para constituir nosso arquivo, selecionamos textos publicados pela Folha de S. Paulo, durante o período de eleições em 2018 e durante o período pós-eleição, além de considerar os cem primeiros dias de governo em 2019. Para que chegássemos a esses materiais, uma primeira entrada mais específica se fizera necessária: os textos foram selecionados a partir da existência das palavras “deficiente” e da expressão “pessoa com deficiência” como um modo de nomeação do sujeito. Feito o recorte, nos colocamos face aos gestos de interpretação. Pudemos compreender que os textos sobre a pessoa com deficiência são produzidos a partir de duas posições-sujeito: jornalistas com deficiência e jornalistas sem deficiência. Tais textos são produzidos a partir de diferentes formações discursivas e retomam questões próprias à memória discursiva.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DÉBORA RAQUEL HETTWER MASSMANN - UFAL
Interno - 1308749 - JOAO BENVINDO DE MOURA
Presidente - 1790769 - MARAISA LOPES
Notícia cadastrada em: 08/04/2021 16:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 20/06/2021 15:36