Notícias

Banca de DEFESA: ALEXANDRE MARTINS DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEXANDRE MARTINS DOS SANTOS
DATA: 21/03/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Embrapa Semiárido, Petrolina-PE
TÍTULO:

BIOLOGIA DE Diadiplosis multifila (DIPTERA: CECIDOMYIIDAE) EM Planococcus citri (HEMIPTERA: PSEUDOCOCCIDAE) SOB DIFERENTES TEMPERATURAS


PALAVRAS-CHAVES:

Cochonilha-farinhenta, agente biológico, predador, Submédio do Vale São Francisco


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitotecnia
RESUMO:

A cultura da videira (Vitis spp.,) apresenta diversas espécies consideradas pragas que reduzem sua produção e rentabilidade. Entre essas estão as cochonilha-farinhentas Planococcus citri (Risso, 1813) (Hemiptera: Pseudococcidae) é uma praga de importância econômica, devido os danos diretos e indiretos causados na cultura da videira. Recentemente no Submédio do Vale São Francisco Diadiplosis multifila (Felt, 1907) (Diptera: Cecidomyiidae) foi observada predando P. citri na cultura da videira, sendo uma opção para o controle biológico dessa praga. Assim, este trabalho teve como objetivo estudar a biologia de D. multifila em P. citri sob temperaturas constantes, bem como determinar seu padrão de oviposição. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Entomologia da Embrapa Semiárido em câmaras climatizada. O padrão de oviposição de D. multifila foi avaliado em potes plásticos contendo substrato (papel filtro) e cochonilhas com ovissacos. Em seguida, 10 adultos de D. multifila recém-emergidos e alimentado com honeydew foram liberados em potes contendo 1, 5 e 10 cochonilhas com ovissaco. Cada densidade correspondeu a um tratamento, formado por 10 repetições. Os insetos liberados em potes ficaram confinados por 24h em câmara climatizada a 25°C, 70±10% de UR e fotoperíodo de 12L:12E, após esse período foi verificado onde ocorreu a oviposição. Para estudos da biologia de D. multifila foram analisadas sob temperatura constantes de 22, 25, 28 e 31°C, UR (70±10%) e fotoperíodo (12L:12E). Para cada temperatura foram avaliados os aspectos biológicos de pelo menos 50 indivíduos. Inicialmente, em potes plásticos dez cochonilhas com ovissacos foram colocadas sobre papel. Em seguida, cinco fêmeas e cinco machos de D. multifila foram liberadas em cada pote, ficando mantidas durante 24h e posturas foram realizadas sobre o papel e ovissacos. Após a eclosão, três larvas de D. multifila foi transferida para uma placa de Petri e colocadas sobre ovissacos repletos de ovos, que serviram como alimento. Assim, foram avaliados o período embrionário, período de larva e pupa, bem como a longevidade, ciclo total, número médio de ovos por fêmea e razão sexual. No primeiro experimento verificou-se que as fêmeas depositaram ovos tanto no substrato (papel filtro) quanto sobre ou dentro de ovissacos. Todas as temperaturas influenciaram significativamente a duração do período embrionário, das fases de larva e pupa, bem como o ciclo total (período de ovo-adulto) de D. multifila. Em todas as fases avaliadas a duração média de desenvolvimento do inseto em dias foi inversamente proporcional ao aumento da temperatura, com a maior duração observada a 22°C e menor duração a 28°C.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDRÉA NUNES MOREIRA DE CARVALHO - IF SERTÃO PE
Presidente - 918.478.344-34 - JOSE EUDES DE MORAIS OLIVEIRA - EMBRAPA
Externo à Instituição - MARTIN DUARTE DE OLIVEIRA - UFRPE
Externo à Instituição - RITA DE CÁSSIA GONÇALVES-GERVÁSIO - UNIVASF
Notícia cadastrada em: 08/03/2016 15:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 24/10/2021 01:17