Notícias

Banca de DEFESA: ERIVAN DOS SANTOS SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERIVAN DOS SANTOS SOUSA
DATA: 30/09/2016
HORA: 14:00
LOCAL: No prédio do CEAGRO da UNIVASF – Petrolina - PE
TÍTULO:

MANEJO DO FLORESCIMENTO DE ACEROLEIRAS (Malpighia emarginata D.C.) SUBMETIDA À DIFERENTES DOSES DE PACLOBUTRAZOL.


PALAVRAS-CHAVES:

Florescimento, fitotecnia, ácido ascórbico, regulador de crescimento.


PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitotecnia
RESUMO:

A aceroleira é uma planta de crescimento rápido, com safra prolongada entre os meses de Outubro a Abril caracterizada por florescimento e frutificação concomitante e ininterruptos sempre após surtos de crescimento vegetativo com flores e frutos em diferentes estágios, exigindo mão-de-obra contínua durante a colheita. Nesse sentido, o presente trabalho tem objetivo de avaliar os efeito de diferentes doses de paclobutrazol (PBZ) nos atributos de crescimento, florescimento, frutificação e de qualidade físico-química dos frutos de aceroleiras Junko e Flor Branca na região de Petrolina-PE. O experimento foi desenvolvido na área experimental do campus da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), localizado na cidade de Petrolina-PE, situado às coordenadas geográficas 09° 21’ de latitude Sul, 40° 34’ de longitude oeste, durante Junho de 2015 a Maio de 2016. Adotou-se o delineamento em blocos ao acaso, em esquema fatorial 5 x 2, Com três repetições e três plantas por parcela, totalizando 90 plantas. Os tratamentos foram aplicados às plantas em 27 Janeiro de 2016, compreenderam a testemunha zero de PBZ e quatro diferentes doses de PBZ, Consistindo em:  T1 = Testemunha [(Dose zero de PBZ)]; T2 = [Dose de PBZ (0,4 g i. a. / m linear de diâmetro de copa)]; T3 = [Dose de PBZ (0,8 g i. a. / m linear de diâmetro de copa)]; T4 = [Dose de PBZ (1,2 g i. a. / m linear de diâmetro de copa)]; T5 = [(1,6 g i. a. / m linear de diâmetro de copa)] e; Duas [variedades de acerola (Junko e Flor Branca)]. Avaliou-se: a) comprimento do ramo (cm); contagem de: números de flores, c) números de frutos b) produção (kg/planta), produtividade (t/ha-1). Determinou-se ainda qualidade físico-química: C) massa dos frutos, diâmetro transversal dos frutos, diâmetro longitudinal dos frutos, pH, sólidos solúveis, acidez titulável, ácido ascórbico, e a relação sólidos solúveis/ acidez titulável. Houve interação significativa entre as doses de PBZ e variedade para crescimento ramo, números de flores, números de frutos e produtividade. Para os atributos de qualidade físico-química o fator variedade apresentou diferença significativa para os diâmetros transversal e longitudinal, massa dos frutos e para as variáveis ácido ascórbico e sólidos solúveis/ acidez titulável.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FLAVIO DE FRANÇA SOUZA - EMBRAPA
Presidente - 034.871.574-97 - ITALO HERBERT LUCENA CAVALCANTE - UNESP
Externo à Instituição - SÉRGIO TONETTO DE FREITAS - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 19/09/2016 08:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 28/10/2021 02:11