Notícias

Banca de DEFESA: TANIRA RIBEIRO MIRANDA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TANIRA RIBEIRO MIRANDA
DATA: 30/03/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Centro de convenções, Petrolina-PE
TÍTULO: ACAROFAUNA DE VIDEIRA: TOXICIDADE E SELETIVIDADE COM PRODUTOS NATURAIS
PALAVRAS-CHAVES: Oligonychus mangiferus; Tetranychus urticae; Neoseiulus idaeus; controle.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitotecnia
RESUMO:

Entre as pragas de importância agrícola, destacam-se os ácaros da família Tetranychidae, dentre eles o ácaro Tetranychus urticae e o Oligonychus mangiferus são responsáveis por causar prejuízos a cultura da videira no polo agrícola do Submédio do Vale do São Francisco. Em algumas situações, falhas de controle tem sido detectadas com o uso frequente de moléculas utilizadas nos produtos químicos. Contudo, isso pode ser acelerado mediante condições climáticas, como também devido ao alto potencial reprodutivo desses ácaros e a rápida adaptabilidade a novos hospedeiros. Outro problema é a baixa seletividade dos produtos químicos aos inimigos naturais. Diante dessa situação, esse trabalho visou estabelecer uma nova prática de controle de ácaros fitófagos encontrados em videira, através de testes de toxicidade de produtos naturais derivados de plantas sobre T. urticae e O. mangiferus e seletividade ao predador Neoseiulus idaeus. Foram estabelecidas curvas de concentração resposta para os ácaros, utilizando-se os produtos Azamax®, Azact®, Matrix® e Orobor®. Além do controle foi acrescentado o tratamento com a dose de campo da abamectina. As avaliações foram realizadas após 24h, 48h e 72h. As concentrações estimadas para ocasionar mortalidade de 50% e 90% indicou que o Matrix® foi o produto mais tóxico para as populações de O. mangiferus e N. idaeus no período de 72h. Já para T. urticae em até 72h, as estimativas da CL90 indicaram o Azamax® como mais tóxico. As formulações à base de Azadiractina (Azamax®, Azact®) apresentaram menor toxi­cidade sobre a população de N. idaeus. Os produtos Matrix®, Azamax® e Azact® mostraram ser promissores para o controle das populações de T. urticae e O. mangiferus, enquanto o Orobor® foi o produto menos tóxico.



MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 692.528.824-72 - ANDRÉA NUNES MOREIRA DE CARVALHO - UFRPE
Externo à Instituição - CARLA PATRÍCIA OLIVEIRA DE ASSIS - UFRPE
Presidente - 918.478.344-34 - JOSE EUDES DE MORAIS OLIVEIRA - EMBRAPA
Externo à Instituição - MANOEL GUEDES CORREA GONDIM JUNIOR - UFRPE
Notícia cadastrada em: 20/03/2017 15:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 24/10/2021 00:12