Notícias

Banca de DEFESA: ELIANE CARNEIRO BUENO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELIANE CARNEIRO BUENO DOS SANTOS
DATA: 18/03/2015
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do CPCE
TÍTULO:

Caracterização bioquímica e comportamental de Helicoverpa armigera (Hubner) (Lepidoptera: Noctuidae) exposta a  diferentes inseticidas



PALAVRAS-CHAVES:

Manejo, resistência metabólica, controle químico, efeitos subletais.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitotecnia
RESUMO:

RESUMO: A lagarta Helicoverpa armigera (Hubner) (Lepidoptera:Noctuidae) considerada uma das principais pragas polífaga de muitas culturas. O sucesso desta praga pode ser relacionado a diversidade de hospedeiro, capacidade de sobrevivência em ambientes e condições adversas, alta mobilidade e fecundidade, principalmente pela capacidade de desenvolver resistência aos inseticidas. A resistência metabólica é freqüentemente consequência do excesso de enzimas de destoxificação, que são capazes de metabolizar os inseticidas. O presente trabalho objetivou estudar  a atividade das enzimas acetilcolinesterase, alfa e  beta-esterase em H. armigera expostas a CL50 de diferentes inseticidas. A toxicidade dos inseticidas com a determinação das concentrações de mortalidadee a resistência comportamental de H. armigera expostas a CL50, CL95 e  a dose de campo de inseticidas, além dos efeitos subletais de inseticidas sobre o desenvolvimento larval e reprodução de H. armigera. As atividade AChE, alfa e beta-esterase  variaram entre os inseticidas testados e também houve variação para o tempo de exposição das lagartas. O tratamento com B. thuringiensis teve aumento das atividades acetilcolinesterase, alfa-esterase e beta- esterase, apresentando potencial risco de resistência metabólica, pois sofre ação das principais enzimas ligadas a destoxificação. Clorpirifos aumentou as atividades acetilcolinesterase e alfa-esterase, lambdacialotrina e clorantraniliprole aumentaram as atividades alfa e beta-esterase. Spinosad e indoxacarb tiveram aumento apenas da atividade alfa-esterase, apresentando-se como opções no manejo de H. armigera com menor tendência em obter resistência metabólica. O comportamento de caminhamento em área tratada é variável entre os tratamentos, verificado através da distancia caminhada, velocidade do caminhamento, tempo sem caminhar e proporção de permanência na área tratada.  As características comportamentais observadas estão diretamente ligada ao modo de ação do inseticida e a pressão de seleção pode resultar em maior tolerância a ação destes produtos. O bioensaio de toxicidade demonstrou diferença entre os tratamentos testados quanto a mortalidade de H. armigera.  Dentre os tratamentos, spinosad foi o produto que apresentou maior toxicidade, causando uma mortalidade 95% (CL95) dos indivíduos na concentração de 0,05 L/ha-1, quando comparado com clorantraniliprole e Bacillus thuringiensis, que necessitaram de concentrações maiores 0,36 e 1,5L/ha-1 respectivamente, para causar 95% de mortalidade.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 049.642.706-70 - ALENXANDRE FARIA DA SILVA - UFV
Interno - 1974703 - EDIVANIA DE ARAUJO LIMA
Interno - 1346800 - FERNANDES ANTONIO DE ALMEIDA
Externo à Instituição - LILIANE EVANGELISTA VISÔTTO - UFV
Presidente - 1494669 - LUCIANA BARBOZA SILVA
Notícia cadastrada em: 25/02/2015 15:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 24/10/2021 00:42