Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO ÍTALO DE SOUSA BRITO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ÍTALO DE SOUSA BRITO
DATA: 27/06/2022
HORA: 17:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO: Desenvolvimento de comprimidos de liberação prolongada de ramipril e anlodipino utilizando galactomanana de Delonix regia como matriz de liberação
PALAVRAS-CHAVES: Biopolímeros, excipientes, sistemas matriciais.
PÁGINAS: 47
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Formas farmacêuticas de liberação prolongada são desenvolvidas para liberar o princípio ativo de forma gradual
mantendo a sua concentração plasmática nos níveis terapêuticos por um período prolongado. Os sistemas matriciais
caracterizam-se pela capacidade de controlar a liberação de substâncias ativas dispersas no agente formador de matriz
que funciona como suporte resistente à desintegração. Diversos agentes podem ser utilizados como controladores de
liberação nos sistemas matriciais, sendo os polímeros hidrofílicos os mais empregados. O objetivo desse trabalho é
desenvolver uma formulação de comprimido de liberação prolongada de anlodipino e ramipril empregando-se
galactomanana extraída das sementes da espécie vegetal Delonix regia (GADR) como matriz de liberação. A extração
do biopolímero teve um rendimento médio de 15,21±3,89% e após maceração obteve-se um pó que foi caracterizado
quanto a distribuição do tamanho de partícula pelo método de tamisação e o resultado demonstrou ser um pó fino,
classificação segundo a Farmacopeia Americana 30a Edição (USP 30). O pó apresentou índice de compressibilidade
de 37,28% e fator de Hausner de 1,59, sendo caracterizado pela USP 30 como muito deficiente em relação às

2
características de fluxo. Apesar de se enquadrar como um pó deficiente, foi possível obter comprimidos com dureza
acima de 50N e friabilidade máxima de 1,0%, valores de acordo com o preconizado pelos compêndios oficiais.
Através dos testes de difração de raios X, espectroscopia no infravermelho e análise térmica das formulações, foi
possível observar ausência de interações químicas entre as substâncias, reforçando o potencial da GADR como
excipiente na indústria farmacêutica. Os comprimidos obtidos não apresentaram nenhum problema relacionado à
fabricação, tais como laminação, descoroação, Picking e Sticking. Os comprimidos de todas as formulações
apresentaram peso médio e teor dentro dos limites estabelecidos pelas farmacopeias. Tais resultados reforçam o
potencial da GADR como excipiente em formulações farmacêuticas sólidas de liberação prolongada, pois foi possível
produzir comprimidos com dureza e friabilidade adequadas além de possuir compatibilidade física e química com os
fármacos empregados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2199134 - MARCILIA PINHEIRO DA COSTA
Interno - 037.277.953-01 - ANA CRISTINA SOUSA GRAMOZA VILARINHO - UFPI
Interno - 1668358 - ANDRE LUIS MENEZES CARVALHO
Interno - 1654493 - MARCIA DOS SANTOS RIZZO
Externo ao Programa - 3285753 - LYGHIA MARIA ARAÚJO MEIRELLES
Notícia cadastrada em: 27/06/2022 10:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 13/08/2022 18:37