Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ALLANE MARIA VAZ RIBEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALLANE MARIA VAZ RIBEIRO
DATA: 18/05/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ Campus Ministro Reis Velloso
TÍTULO:

Preparação de extratos etanólicos a partir de plantas do cerrado e da mata atlântica brasileira para fins biotecnológicos


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras Chave: atividade antibacteriana, plantas, Cerrado, Mata Atlântica


PÁGINAS: 21
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Muitos países em desenvolvimento fazem uso de plantas como uma alternativa para a cura de muitas doenças. No entanto há a necessidade de comprovação científica da ação terapêutica e regulamentação quanto ao uso seguro de muitas plantas medicinais. A comprovação da resistência de patógenos causada pelo uso indevido e demasiado de antimicrobianos em todo o mundo gera bastante preocupação. Muitos pesquisadores já comprovaram a ação eficaz de muitos extratos e óleos essências de plantas medicinais contra microrganismos resistentes. Nesse contexto, esse estudo tende a identificar plantas da Região do Cerrado e Mata Atlântica do Brasil no intuito de descobrir substâncias ativas com potenciais para fins biotecnológicos, especificamente com ação antibacteriana. Foi realizado um levantamento bibliográfico das espécies botânicas da região de Cerrado e da Mata Atlântica brasileira. A primeira expedição foi realizada na Área de Pesquisa Florestal do Grupo Centroflora (Botucatu-SP). As amostras das plantas foram separadas em folhas, cascas, frutos e parte aérea com um total de 15 espécies diferentes de plantas. Após o processo de secagem e moagem das amostras foi realizada o teste de perda por dessecação (PPD%) e em seguida, a produção dos extratos etanólicos obtidos por maceração em Etanol P.A., mas com algumas variações para aumentar a eficácia da extração. O extrato foi filtrado e concentrado em um Rotavapor R-215 Buch ­a uma temperatura de 45ºC +/- 5ºC. Até o presente momento foram obtidos extratos secos. É possível observar uma variação no rendimento final de cada amostra de acordo com a espécie e estrutura de cada planta. Será feita uma avaliação fitoquímica para identificação de grupos de princípios ativos utilizando cromatografia em camada delgada (CCD) e a partir destes resultados serão realizados testes biológicos buscando atividade antibacteriana dos extratos.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 913.964.335-20 - JOILSON RAMOS DE JESUS - UFBA
Interno - 841.003.203-10 - LEIZ MARIA COSTA VERAS - UFPI
Notícia cadastrada em: 18/05/2015 08:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 30/11/2022 21:13