Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DAKSON DOUGLAS ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAKSON DOUGLAS ARAUJO
DATA: 12/07/2021
HORA: 14:00
LOCAL: sistema remoto
TÍTULO: “AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTITUMORAL DA GOMA DO ANGICO VERMELHO (Anadenanthera colubrina var. cebil (Griseb.) Altschul) FRENTE A UM MODELO EXPERIMENTAL DE MELANOMA METASTÁTICO B16-F10 EM CAMUNDONGOS BALB/C”
PALAVRAS-CHAVES: Anadenanthera colubrina; Antitumoral; Goma do angico; Melanoma.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O câncer compreende um conjunto de doenças que tem em comum o crescimento
desordenado de células. Dentre os diferentes tipos, o melanoma é caracterizado por ser
agressivo e altamente metastático. Apesar dos grandes avanços na medicina no decorrer
dos anos, o câncer continua sendo uma das principais causas de morte no mundo. Dessa
forma, pesquisas associadas a produtos naturais tem grande destaque por apresentarem
inúmeras propriedades farmacológicas. Os polissacarídeos têm ganhado visibilidade por
apresentarem baixa toxicidade, alta biocompatibilidade e propriedades biológicas tais
como antidiarreica, antitumoral, anti-inflamatória e imunomoduladora. Nesse contexto,
este trabalho teve como objetivo avaliar o potencial antitumoral da goma do angico
vermelho (Anadenanthera colubrina var. cebil (Griseb.) Altschul) in vivo. Para isso,
camundongos Balb/c foram transplantados com células de melanoma metastático
murino B16-F10 na região subcutânea. Após 9 dias, os animais foram submetidos ao
tratamento por via intraperitoneal com a goma nas doses de 50 e 100 mg/kg/dia. A
ciclofosfamida (25 mg/kg/dia) e solução salina foram utilizadas como controles positivo
e negativo, respectivamente. Após o período de tratamento, seguiu-se as análises
biométricas, macroscópicas e hematológicas. No primeiro ensaio, foi observada uma
heterogeneidade entre os animais com relação ao tamanho do tumor. Assim, a
metodologia foi ajustada, onde foram modificados o meio de diluição e a concentração
de células transplantadas e novo ensaio foi realizado. Apesar dos ajustes metodológicos,
não houve um crescimento homogêneo do tumor. Foi possível observar diferenças
discrepantes no tamanho do tumor que variaram de 0,06 a 2,90 g no grupo controle
negativo, por exemplo. Alguns animais tiveram regressão do tumor ao longo dos dias,
mesmo em animais do grupo controle negativo. Durante o período de tratamento, o peso
corporal foi monitorado diariamente em ambos os experimentos não sendo observado
mudanças significativas em todos os grupos avaliados. Ao final do experimento, os
órgãos (baço, fígado, pulmão e rins) foram pesados e analisados macroscopicamente.
Com relação ao peso dos órgãos, não houve alterações de peso em ambos os
experimentos, exceto o baço dos animais do primeiro experimento, que apresentou um
leve aumento nas duas doses da goma avaliadas quando comparado ao controle
negativo. Não houve diferenças significantes nas análises macroscópicas. Na contagem
diferencial de leucócitos não houve diferença significativa, demonstrando assim que
este polissacarídeo possivelmente não causa depleção ao sistema imunológico dos
animais. Em conclusão, não foi possível avaliar o efeito antitumoral da goma do angico
devido a presença de variados tamanhos de tumores na linhagem Balb/c. Dessa forma,
faz-se necessário desenvolver uma padronização na metodologia para alcançar uma
progressão tumoral desejada e reprodutível utilizando o modelo exposto.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Interno - 1789383 - JEFFERSON SOARES DE OLIVEIRA
Interno - 2231318 - JOSE DELANO BARRETO MARINHO FILHO
Externo ao Programa - 2140963 - LEONARDO PERES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 23/06/2021 16:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 30/11/2022 20:36