Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RODRIGO ELISIO DE SÁ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGO ELISIO DE SÁ
DATA: 14/07/2021
HORA: 14:30
LOCAL: sistema remoto
TÍTULO: “Avaliação do potencial citotóxico de vitanolídeos obtidos da espécie Acnistus arborescens em células tumorais e investigação do efeito sobre as etapas da metástase in vitro”
PALAVRAS-CHAVES: Anticâncer; Movimento celular; Viabilidade celular; Vitanolídeos.
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O câncer é considerado uma doença de caráter mutacional, multifatorial e proliferativa, em que as
células anormais possuem crescimento descontrolado com alto potencial invasivo. A metástase, a
propagação de células malignas de um tumor primário para locais distantes, representa o maior
problema para o tratamento do câncer e é a principal causa de morte de pacientes com câncer. Desse
modo, é evidente a importância da busca por novas fontes de terapias antitumorais e
antimetastáticas, que muitas vezes têm sido encontradas no reino vegetal. Assim, objetivou-se
investigar a atividade citotóxica de vitanolídeos, bem como avaliar o efeito do Vita A9 nos
processos envolvidos na metástase, utilizando ensaios in vitro, frente à linhagem celular de câncer
de mama triplo negativo MDA-MB-231. Seis vitanolídeos isolados da espécie Acnistus arborescens
foram testados frente a oito linhagens de células tumorais, onde quatro amostras obtiveram valores
de CI50 que variaram de 0,3 a 2,52 μM. As amostras foram também testadas em duas linhagens não
tumorais, com CI50 variando entre 0,55 e 3,50 μM, após 72 horas de tratamento, utilizando o
método do MTT. Após isso, selecionou-se a linhagem MDA-MB-231, por apresentar um perfil
agressivo e capaz de formar metástase e a linhagem MCF-10A, a fim de determinar a CI50 e realizar
o índice de seletividade nos tempos de 24 e 48 horas. Diante dos resultados do MTT de 72 horas, as
amostras Vita A8 e A9 foram as escolhidas. Observou-se que a CI50 na linhagem MDA-MB-231
tratada com o Vita A8 foi de 5,41 e 8,83 μM e com o Vita A9 de 3,05 e 5,67 μM, nos tempos de 24
e 48 horas, respectivamente. O Vita A9 foi duas vezes mais seletivo do que a doxorrubicina,
utilizada como controle positivo. Sendo assim, definiu-se as concentrações sub-citotóxicas de 0,5 e
1 μM do Vita A9 para dar continuidade ao estudo, no tempo de 48 horas. Com o intuito de
demonstrar que as concentrações escolhidas não eram citotóxicas, realizou-se a avaliação da
atividade antiproliferativa pelo método de exclusão por azul de Tripan. Confirmou-se que nas
concentrações de 0,5 e 1 μM de exposição, o Vita A9 não possui efeito citotóxico, observando uma
parcela significativa de células viáveis após os tratamentos (*p<0,05) quando comparado ao
controle negativo. Para o ensaio clonogênico, células MDA-MB-231 foram tratadas com 0,5 e 1 μM
de Vita A9 por 48 horas. Após o tratamento, as células foram lavadas e o meio substituído. O
crescimento das colônias foi monitorado por 10 dias, onde se observou que o Vita A9 inibiu a
formação de colônias, indicando que mesmo em concentrações sub-citotóxicas, a molécula
apresenta efeito antiproliferativo. Constatou-se que o composto Vita A9 foi capaz de inibir a
migração celular com percentual de migração, em que após 48 horas de exposição ao Vita A9, as
células apresentaram percentual de 48,25 % de migração após o tratamento de 0,5 μM e 16,29 % na
concentração de 1 μM, enquanto as células do controle negativo (sem tratamento) apresentaram
percentual de migração de 96,28%. A amostra teste também foi capaz de diminuir a adesão das
células MDA-MB-231 em matriz de colágeno após 1 hora e meia de incubação, onde a
concentração de 1 μM foi estatisticamente significativa (p<0,05) em relação as células do controle
negativo. A partir dos resultados obtidos foi possível demonstrar o potencial citotóxico de quatro
vitanolídeos, e o Vita A9 apresentou-se como uma molécula promissora, visto que conseguiu inibir
processos primordiais para a formação de metástases.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Externo ao Programa - 1551972 - FRANCE KEIKO NASCIMENTO YOSHIOKA
Externo ao Programa - 2199134 - MARCILIA PINHEIRO DA COSTA
Notícia cadastrada em: 28/06/2021 11:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 06/12/2022 04:46