Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ARI PEREIRA DE ARAUJO NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ARI PEREIRA DE ARAUJO NETO
DATA: 01/10/2013
HORA: 18:30
LOCAL: Saguão de apresentação de pôsteres do Simpósio Latino-Americano de Biotecnologia.
TÍTULO:

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA INFECÇÃO PELO HPV DE ALTO RISCO ONCOGÊNICO EM PACIENTES COM CÂNCER DE PRÓSTATA DO ESTADO DO PIAUÍ.


PALAVRAS-CHAVES:

 Câncer de Próstata; HPV; Estado do Piauí.


PÁGINAS: 38
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O câncer de próstata é uma das neoplasias mais frequentes no mundo, sendo a que mais acomete a população masculina. No Estado do Piauí, o câncer de próstata é a neoplasia mais incidente com taxas estimadas de 43,5 por 100.000 para todo o Estado e de 49,2 por 100.000 para a capital Teresina. A etiologia do câncer de próstata permanece ainda desconhecida. Supostos fatores de risco, tais como variações genômicas polimórficas, perturbação na síntese de hormônios andrógenos, dieta, atividade física, obesidade, etnia, história familiar e comportamento sexual têm sido implicados na etiologia do câncer de próstata, no entanto o papel definido de cada fator permanece desconhecido. Portanto, este estudo teve como foco a análise do perfil epidemiológico da infecção pelo HPV de alto risco oncogênico em pacientes com câncer de próstata do Estado do Piauí. O estudo envolveu 104 amostras de carcinomas prostáticos, obtidas de pacientes consecutivos, sem tratamento prévio. As amostras tumorais foram colhidas no ato da prostatectomia e não exclusivamente para a pesquisa. Para a detecção do HPV nas amostras de DNA foi utilizado o sistema de amplificação de DNA PGMY09/11 L1 consensus primer system para um fragmento de 450 pb do gene L1 do HPV, que é uma região de consenso dos vários tipos virais, bem como o sistema GP5-GP6 segundo descrição de Karlsen et al., (1996), e o Pr1/Pr2 específicos somente ao HPV 16. Neste sistema também foi incluída a co-amplificação do gene MDM2 humano, com o intuito de se verificar a integridade e qualidade do DNA de todas as amostras em análise. As 104 amostras de carcinomas da próstata analisadas eram de pacientes com idades variando entre 65 e 93 anos (média de 73 anos). Quanto à forma de obtenção das amostras, 100% foram obtidas por meio da prostatectomia total e 0% por ressecção prostática transuretral. Quanto à presença do papilomavírus humano nos carcinomas da próstata, nenhuma das amostras (0%) apresentou amplificação tanto para o conjunto de primers MY09/MY11 e GP5/GP6, quanto para o conjunto Pr1/Pr2. Já para o conjunto MDM2-F/MDM2-R todas as amostras (100%) apresentaram amplificação, correspondendo à boa qualidade amplificável do DNA extraído dos tumores. A investigação molecular do HPV associado ao câncer de próstata na população piauiense, mostrou que a prevalência desses patógenos na população estudada é nula. Com isso, nossos resultados apontam para uma possível não associação da infecção por HPV e carcinogênese prostática no Estado do Piauí.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1553556 - FABIO JOSE NASCIMENTO MOTTA
Interno - 1551972 - FRANCE KEIKO NASCIMENTO YOSHIOKA
Presidente - 1551921 - GIOVANNY REBOUCAS PINTO
Notícia cadastrada em: 18/09/2013 10:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/12/2022 04:28