Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MIRNA ANDRADE BEZERRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MIRNA ANDRADE BEZERRA
DATA: 19/07/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual (Remota)
TÍTULO: PLANTAS ALIMENTÍCIAS SILVESTRES E A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM COMUNIDADES RURAIS NO INTERIOR DO NORDESTE BRASILEIRO
PALAVRAS-CHAVES: Educação básica; Professores; comunidades rurais; Transposição didática; Educação ambiental
PÁGINAS: 151
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As plantas alimentícias silvestres (PAS) nascem espontaneamente e têm sido utilizadas por comunidades tradicionais em tempos de escassez de alimentos e/ou para a complementação dos hábitos alimentares. A transmissão de conhecimentos entre gerações permite o fluxo e perpetuação das informações dos mais experientes para os mais jovens. No entanto, há uma problemática quanto à perda de saberes. A carência de estudos que abordem esta temática de forma específica e que possibilitem a integração dos conhecimentos científicos e tradicionais com o envolvimento dos habitantes das comunidades, professores, estudantes e escolas, permite afirmar que o estudo apresenta contribuições significativas para esta área do conhecimento. Desta forma, objetiva-se analisar as representações sociais dos professores da educação básica sobre a mediação e as possibilidades de aplicação dos conhecimentos tradicionais de plantas silvestres utilizadas como alimentícias, valorizando o discurso das comunidades rurais e a transposição didática para o resgate dos saberes. Foram realizadas revisões científicas sobre a biodiversidade de PAS terrestres e aquáticas com potencial subutilizado, tendo por base estudos etnobotânicos, com ênfase nas espécies encontradas no semiárido brasileiro. A partir desta análise, na qual foram identificadas plantas comumente utilizadas pelas populações, investigações anatômicas e histoquímicas foram realizadas no pecíolo e folhas de Bromelia laciniosa, Hymenaea courbaril, Psidium guineense, Talinum paniculatum e cladódio de Cereus jamacaru com a finalidade de indicar estruturas secretoras que produzem compostos úteis para a alimentação. Tendo em vista o distanciamento e redução das relações homem e natureza, percebe-se a importância de inserir a escola e principalmente, professores como mediadores de abordagens educativas, interdisciplinares e que promovam a educação ambiental mediante o desenvolvimento de conteúdos relacionados às PAS e saber tradicional associado ao seu uso. Para isso, desenvolveu-se entrevistas semiestruturadas com professores da educação básica, pertencentes a diversas áreas do conhecimento. A análise das representações sociais nos permite constatar que os docentes consideram positivas e relevantes as possibilidades de aplicação do conhecimento tradicional sobre PAS na construção da educação ambiental. Diante disso, os discursos coletados foram aliados a documentos relevantes como a Base nacional Comum Curricular (BNCC) e Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA) com o objetivo de identificar de que forma os professores podem transpor didaticamente o conhecimento tradicional e o científico para crianças, adolescentes e jovens. Foram realizadas ainda, entrevistas com docentes que pertencem às comunidades rurais do município de Viçosa do Ceará, especificamente de Passagem da onça, sítio Tucuns e Bom tempo. Considera-se que os docentes pertencentes às próprias comunidades rurais, nativos da região podem realizar a transposição didática de conhecimentos científicos e tradicionais desenvolvendo uma aprendizagem contextualizada sobre as PAS que fizeram ou ainda fazem parte da sua alimentação em momentos variados da vivência e interrelação com o ambiente. A valorização dos saberes tradicionais sobre os usos das plantas silvestres pode ser estabelecida pela educação ambiental formal e informal, com a mediação do professor, partindo do reconhecimento de que a discussão desta temática em diferentes contextos, mostra-se relevante para a formação integral do estudante.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1653145 - ANDERSON GUZZI
Interno - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Presidente - 302.181.523-53 - FRANCISCO SOARES SANTOS FILHO - UESPI
Interno - 1221652 - IVANILZA MOREIRA DE ANDRADE
Externo à Instituição - KELLY POLYANA PEREIRA DOS SANTOS - UESPI
Externo à Instituição - WALDILÉIA FERREIRA DE MELO BATISTA - SEDUC-PI
Notícia cadastrada em: 14/06/2022 15:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 13/08/2022 17:38