Notícias

Banca de DEFESA: FRANCISCA DAYANE SOARES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCA DAYANE SOARES DA SILVA
DATA: 10/02/2022
HORA: 08:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO: Síntese, Caracterização e Avaliação do Potencial Catalítico de Nanopartículas de Prata Sintetizadas com Proteínas do Látex de Plumeria pudica Jacq. (1760) na Redução do Azul de Metileno
PALAVRAS-CHAVES: Azul de leucometileno, catalisador, corantes, nanotecnologia, proteínas vegetais.
PÁGINAS: 104
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Bioquímica
RESUMO:

Proteínas do látex de Plumeria pudica (PLPp) são produzidas de maneira homogênea, possuem
baixa toxicidade in vivo e são caracterizadas bioquimicamente. O presente trabalho analisou a
formação das AgNPs sintetizadas com PLPp em três concentrações (0,1mg/mL, 0,2mg/mL e
0,3mg/mL) (AgNPs-PLPp), as caracterizou, estudou suas estabilidades em condição de
armazenamento e potenciais catalíticos utilizando a reação modelo de redução do azul de
metileno (AM) pelo borohidreto de sódio (NaBH4), bem como avaliou suas toxicidades para
eritrócitos. A formação das AgNPs-PLPp foi atenuada conforme o aumento da concentração de
PLPp utilizada na síntese. As bandas de ressonância plamônicas (BRPs) das AgNPs-PLPp
tiveram suas carcterísticas levemente alteradas ao longo de 280 dias de armazenamento ao
abrigo de luz em 8oC, porém as AgNPs-PLPp I e II tenderam à estabilidade após 60 dias de
armazenamento, considerando seus tamanhos de largura à meia altura (LMA). As AgNPs-PLPp
III apresentaram LMA constante do dia 40 ao 80. Vibrações de alongamento de N-H e C=O
nos espectros de infravermelho das AgNPs-PLPp mostraram que componentes de natureza
proteica interagiram com a prata. Os tamanhos hidrodinâmicos e distribuição das AgNPs-PLPp
foram dados por espalhamento de luz dinâmico (ELD), assim as AgNPs-PLPp I tiveram
tamanhos de 67,81±29,33nm e PDI (0,251), AgNPs-PLPp II (68,89±27,15nm) e PDI (0,391) e
AgNPs-PLPp III de 68,32±33,68nm e PDI (0,275). Em microscopia de força atômica pôde-se
observar componentes distintos nas imagens, indicando provavelmente a presença de núcleos
de prata envoltos com proteínas, além disso, todas as AgNPs-PLPp apresentaram morfologia
esférica. Quanto ao potencial catalítico, as AgNPs-PLPp aceleraram a reação de redução do
AM na presença de NaBH4, com taxas de redução (TR%) superiores à mostrada sem catalisador
(8,71%), com PLPp 0,05mg/mL (4,01%), 0,1mg/mL (5,97%) e 0,15mg/mL (10,84%). As TR%
desempenhadas pelas AgNPs-PLPp foram distintas, aumentando à medida que foram utilizadas
AgNP-PLPp com concentrações crescentes de PLPp na síntese. Sendo enfatizada a TR% das
AgNPs-PLPp III com valor médio de 90,69% e tempo de equilíbrio de 4,719 min. Todas as AgNPs-PLPp apresentaram características cinéticas governadas pelo modelo de pseudo-primeira ordem. Assim, as constantes de velocidade k das AgNPs-PLPp elevaram-se com o aumento de PLPp em suas sínteses, porém a k das AgNPs-PLPp I (-0,2653min-1) foi diferente siginificativamente das AgNPs-PLPp II (-0,4446min-1) e III (-0,6398min-1). No entanto, k das AgNPs-PLPp III é semelhante estatisticamente com a solução de AgNO3 84.92mg/L (-0.79054min-1). As k das AgNPs-PLPp foram diferentes estatisticamente da reação que não recebeu catalisador (-0,00856min-1), bem como de PLPp 0,05mg/mL (-0,00681min-1), 0,1mg/mL (-0,0081min-1) e 0,15mg/mL (-0,0094min-1) separademente. Avaliando a toxicidade para eritrócitos do produto de redução catalítica das AgNPs-PLPp II, III, estes mostraram % de hemólise de 22% e as AgNPs-PLPp I de 37%, as quais foram inferiores àquela observada para o produto utilizando AgNO3 (100%). Quanto à toxicidade das AgNPs-PLPp I, II e III, estas apresentaram % de hemólise semelhante à solução salina 0,85%. Com os resultados obtidos neste estudo, pode-se inferir que o aumento da concentração de PLPp atenuou o início da síntese das AgNPs-PLPp, porém foi importante para o melhoramento de suas atividades catalíticas. Além disso, PLPp parece ter contribuído com as características morfológicas, tamanho e redução dos íons de prata das AgNps-PLPp, bem como de suas baixas toxicidades para eritrócitos nas concentrações estudadas. Em adição, as AgNPs-PLPp reduziram a toxicidade do AM após suas atuações catalíticas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLEVERSON DINIZ TEIXEIRA DE FREITAS - UFC
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Presidente - 1789383 - JEFFERSON SOARES DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 31/01/2022 14:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 15/07/2024 03:02