Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIO CARLOS PEREIRA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO CARLOS PEREIRA DE OLIVEIRA
DATA: 20/02/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório Oeste da UFDPar
TÍTULO: BIOPOLÍMERO EXTRAÍDO DO EXSUDATO DE Spondias purpurea L. (GOMA DO SERIGUELEIRO) PODE ATUAR COMO PROTETOR MECÂNICO NA LESÃO GÁSTRICA INDUZIDA POR ETANOL EM CAMUNDONGOS: CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA, INVESTIGAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE E ESTUDO DO PERFIL MUCOADESIVO.
PALAVRAS-CHAVES: Arabinogalactana; Úlcera péptica; Omeprazol; Modelo murino.
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Bioquímica
RESUMO:

As úlceras gástricas são multifatoriais e podem ser causadas por fatores exógenos, como o uso excessivo de etanol. Por apresentar alta hidrossolubilidade, o etanol alcança a corrente sanguínea em curtos períodos de tempo, o que induz estresse oxidative por meio do aumento de malondialdeído (MDA) e do conteúdo total de nitrito/nitrato (Nox), além de diminuir as enzimas endógenas antioxidantes, como superóxido dismutase (SOD) e glutationa reduzida (GSH). Embora já exista fármacos estabelecidos na terapêutica das úlceras, relata-se alto índice de recidiva, o que pode indicar certa limitação na eficácia dos medicamentos antiulcerosos atualmente. Podemos definir como produto natural, tudo aquilo que é produzido por plantas e animais. No caso das plantas, estas produzem metabólitos secundários que atuam na defesa contra predadores e patógenos. Muitas plantas produzem exsudatos após agressão no córtex. A goma do serigueleiro (GS) é exudada da espécie Spondias purpurea L. O objetivo do presente estudo foi caracterizar o polissacarídeo, além de investigar a ação da GS na defesa da mucosa gástrica em modelo experimental de lesão gástrica por etanol 50% em camundongos Swiss. Inicialmente os animais foram pré-tratados por gavagem, com veículo (salina) e com GS na dose de 10, 30 e 60mg/kg v.o, 1 hora antes da indução da injúria por etanol 50% (0,5ml/25g). Após a eutanásia, o estômago foi retirado para análise macroscópica, análise histopatológica e análises de SOD, GSH, MDA e Nitrito. Após coletada, isolada e purificada, a GS foi submetida a um analisador Perkin Elmer para determinação da composição elementar, enquanto a massa molar foi determinada pelo método de cromatografia de permeação e para obter o espectro de 1 H RMN, a amostra GS (20 mg) foi dissolvida em óxido de deutério (D2O), centrifugado e liofilizado. O espectro foi obtido em um Bruker AVANCE 300 MHz. A melhor dose para o presente estudo foi de 60 mg/kg, visto que a mesma protegeu a mucosa de forma significativa nas análises de macroscopia e dano gástrico. Nos ensaios seguintes, a GS reduziu as alterações histopatológicas induzidas por etanol 50%. Estes resultados, associados a diminuição dos níveis de MDA e Nox, além do aumento das enzimas antioxidantes SOD e GSH, colocam a GS como uma potente alternativa no tratamento da patogênese ulcerativa induzida por etanol.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Externo ao Programa - 3269046 - ANA PATRÍCIA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1637767 - MARCELO DE CARVALHO FILGUEIRAS
Notícia cadastrada em: 02/02/2024 15:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 15/07/2024 01:15