Notícias

Banca de DEFESA: JEFFERSON MAGALHÃES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JEFFERSON MAGALHÃES DE OLIVEIRA
DATA: 01/04/2024
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório PPGQ
TÍTULO: Desenvolvimento de filmes à base de goma de Anadenanthera colubrina, amido de Attalea speciosa e ureia
PALAVRAS-CHAVES: Goma, amido, filmes
PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

O crescimento da produção dos descartáveis trouxe consigo o descarte de plásticos sem controle, gerando um grave problema ambiental. Ecologicamente, é desejável desenvolver um material de embalagem para preservação de alimentos que seja de baixo custo e biodegradável.  O amido de babaçu, é obtido na cadeia produtiva do coco babaçu e quando não descartado é utilizado na alimentação de animais e timidamente na alimentação de seres humanos. A goma de angico branco é conhecida popularmente pelos seus efeitos medicinais, sendo obtida através de injúrias mecânicas no caule da planta. Ambos já foram utilizados na formação de filmes com diversos plastificantes, como a ureia, contudo ainda não estudada sua combinação. O presente estudo teve como objetivo desenvolver filmes pelo método de casting a partir de misturas de goma de angico branco (GAC), amido de babaçu (AAS) e ureia. A metodologia de design rotativo composto central da superfície de resposta foi usada para otimizar concentrações de GAC (1-3,5%), AAS (2–5%) e ureia (15–35%) para o desenvolvimento do filme. A otimização foi feita com base nas respostas resistência à tração, Alongamento e solubilidade. Ambas as concentrações afetaram positivamente o alongamento dos filmes, enquanto a tendência inversa foi observada com o aumento da concentração de ureia para Tração. Já para a solubilidade, apenas AAS contribuiu negativamente. O nível ótimo de diferentes parâmetros resultaram em dois filmes F1 e F2, sob condições de concentrações para F1: de 0,25% de GAC, 6,02% de AAS e 24,56% de plastifcante e para F2: 0,15% de GAC, 5,75% de AAS e 22,7% de ureia. Os filmes obtidos corroboraram com os dados teóricos.  Através da caracterizações TG/DTG, DCS, DRX, RMN 1He 13C e FTIR observou-se a miscibilidade entre os componentes, concordando com estudos morfológicos que exibiram estruturas homogêneas dos filmes, sendo que F2 apresentou uma superfície mais rugosa. Através da análise de ângulo de contato com água, observou-se superfícies parcialmente hidrofílicas. Logo, foi possível produzir filmes a partir de polímeros naturais com características singulares, sugerindo sua aplicação em setores específicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1357378 - CARLA VERONICA RODARTE DE MOURA
Interno - 1722880 - JOSY ANTEVELI OSAJIMA FURTINI
Externo à Instituição - ALYNE RODRIGUES DE ARAUJO - UFDPar
Externo à Instituição - DURCILEIDE ALVES DA SILVA - UFDPar
Notícia cadastrada em: 27/03/2024 10:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 24/06/2024 11:36