Notícias

Banca de DEFESA: MARTA MARIA da SILVA LIRA BATISTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARTA MARIA da SILVA LIRA BATISTA
DATA: 06/06/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Ciências da Saúde/CCS/UFPI
TÍTULO:

INDICADORES DE QUALIDADE E O GERENCIAMENTO DA DISFAGIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA


PALAVRAS-CHAVES:

Transtornos de Deglutição; Indicadores de Qualidade em Assistência à Saúde; Resultado e Avaliação de Processos (Cuidados de Saúde); Fonoterapia; Unidade de Terapia Intensiva.


PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fonoaudiologia
RESUMO:

Os altos custos na internação hospitalar nem sempre refletem a qualidade do serviço prestado e a criação de indicadores de qualidade é fundamental para a avaliação da qualidade do serviço. O principal objetivo deste trabalho é avaliar os principais indicadores de qualidade no gerenciamento da disfagia na Unidade de Terapia Intensiva. Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal, quantitativo e de caráter retrospectivo. Foram considerados como indicadores de processo: taxa de gravidade, Índice de demanda Fonoaudiologia, Tempo para avaliação da deglutição; e, como indicadores de resultados: Tempo para retirada da Via Alternativa de Alimentação e a taxa de decanulação. O número total de pacientes foi de 232 pacientes, houve uma leve predominância no sexo masculino, com 54,1%, com a média de idade de 54,9 ±20,2 anos de idade. O tempo médio de internação na UTI foi de 11,4±15,1 dias. Do total 49,5% foram intubados, permanecendo sob ventilação mecânica invasiva por 5,1 dias, em média, na primeira intubação e de 3,0 dias na segunda, sendo que 91,4% apresentavam algum grau de disfagia quando foram avaliados pelo Fonoaudiólogo, pela primeira vez. A presença do profissional em todo o seu turno de trabalho permite melhor interação com a equipe de cuidado, monitorização mais precisa do paciente no intuito de iniciar a terapêutica mais precocemente. No indicador Reintrodução Via Oral, 88,3% foram reabilitados nos primeiros 5 dias, bem com a Retirada da Via Alternativa de Alimentação, com 88,9%. Estes resultados foram positivos, demonstraram que o acompanhamento intensivo da Fonoaudiologia na UTI permite a interdisciplinaridade e cuidado integral do paciente, culminando em tempo menor de internação na UTI, menor percentual de colocação de vias alternativas para alimentação, além de proporcionar três vezes mais rápida a decanulação e a reintrodução da via oral como forma de nutrição


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - KELSON NONATO GOMES DA SILVA - UESPI
Externo à Instituição - LAURENI DANTAS DE FRANCA - UFSCAR
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Interno - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 25/05/2016 17:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/05/2024 00:26