Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GILBERTO ALBERTO MADEIRA NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILBERTO ALBERTO MADEIRA NETO
DATA: 07/02/2020
HORA: 16:00
LOCAL: COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS E SAÚDE/CCS
TÍTULO: FATORES DE RISCO DE SEPSE EM PACIENTES EM HOSPITAL PÚBLICO DE TERESINA/PI
PALAVRAS-CHAVES: Palavras chaves: Sepse, Fatores de Risco, Resistência Bacteriana, IRAS, Antimicrobianos.
PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

INTRODUÇÃO: Sepse é uma síndrome multifatorial que se manifesta do desiquilíbrio da resposta fisiológica inerente a uma infecção ocasionando uma disfunção orgânica. Os fatores condicionantes destas respostas são avaliados a partir das condições de saúde do paciente e eventos inerentes a sua internação hospitalar. OBJETIVO: Analisar os fatores de risco de sepse e suas associações em Hospital Terciário de Teresina-PI. METODOLOGIA: No qual foi realizado coleta de dados em portuários da aplicação de gerenciamento do Hospital Universitário (AGHU), juntamente com o banco de dados de notificação de infecção relacionada a assistência de saúde (IRAS) da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), os quais foram correlacionados aos critérios de escore qSOFA para posto de internação e SOFA para UTI no intuito de classificação para Sepse. Os dados foram apresentados média, desvio padrão e comparação dos grupos que foi realizada pelo Teste exato de Fisher. Para análise das associações de fatores de risco de sepse utilizou-se o teste de Qui-quadrado (p ≤ 0,05) e intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: Foram analisados 438 prontuários clínicos com IRAS e desses, 209 prontuários foram classificados como sepse durante o período de janeiro de 2018 e janeiro de 2019. O perfil de internação foi equivalente para o sexo masculino e feminino com média de idade de 60 anos com variação de 18 anos a 89 anos. A média de dias de internação foi de 64,5 dias, com 57, 9% de óbitos. Destaca-se o número de internações em UTI com 32,5%, com tipo de doença de admissão de foco vascular 27,3% e Neoplasias com 22,5%. As clínicas com maior prevalência de sepse foram a Clínica Média com 19,1% e Geriatria com 14,4%. Do total, 60,28% realizaram algum tipo de intervenção cirúrgica. Das IRAS correlacionadas 23,4% foram ITU-NAC e 17,7% IPCS Laboratorial. Os microrganismos isolados com maiores prevalências foram a Klebsiella pneumoniae com 20,6%, e Acinetobacter baumannii com 16,3%, sendo destes respectivamente multidrug resistent (MDR), 79,1% e 85,3%. As associações de fatores de risco de sepse com p<0,05 pode-se destacar faixa etária e tempo de internação (p=0.0034), Bactéria MDR e Tempo de internação (p=0,0001), procedimento cirúrgico e neoplasia (p=0,0071) e Doença de admissão Infecção e Óbito (p=0,0246). CONCLUSÃO: Concluiu-se que os fatores de risco de sepse e suas associações tem relação de interação e levam a crer que podem influenciar na condição de saúde e desfecho desfavorável para o paciente séptico.


MEMBROS DA BANCA:
Notícia cadastrada em: 20/01/2020 16:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 30/05/2024 00:16