Notícias

Banca de DEFESA: TATIANA VICTORIA CARNEIRO MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TATIANA VICTORIA CARNEIRO MOURA
DATA: 12/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva - GPeSC da UFPI/Campus-Picos
TÍTULO: EFETIVIDADE DO SUPORTE TELEFÔNICO NO CONHECIMENTO SOBRE A TÉCNICA DE APLICAÇÃO DA INSULINA
PALAVRAS-CHAVES: Diabetes Mellitus. Ligações Telefônicas. Entrevista Motivacional. Ensaio Clínico.
PÁGINAS: 113
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A aplicação da insulina está entre os erros mais comuns de medicações no mundo em todas as suas diversas etapas de utilização. Esses erros podem gerar problemas na absorção de tal medicamento, gerando dificuldades no controle glicêmico e maximizando complicações referentes a hiperglicemia. Nesse contexto, viu-se a necessidade de desenvolver uma intervenção educativa com o intuito de proporcionar conhecimentos sobre a aplicação da insulina. Objetivo: Objetivou-se avaliar a efetividade da intervenção educativa através do suporte telefônico sobre o conhecimento da técnica de aplicação de insulina. Método: Trata-se de um ensaio clínico pragmático randomizado realizado nos meses de dezembro de 2018 a março de 2019, na cidade de Picos-PI com todos os diabéticos insulinodependentes e que recebem a insulina através da secretária de saúde, assim a amostra foi composta por 79 participantes. A coleta de dados ocorreu em três fases, a primeira era a aplicação do pré-teste através de uma entrevista semiestruturada, norteada pelo instrumento de coleta de dados, logo após foi feito à randomização dos participantes através do programa chamado Research Randomizer para alocação em grupos de intervenção e controle. A segunda fase foi composta por ligações telefônicas quinzenalmente durante dois meses, para os participantes alocados no grupo de intervenção. A terceira fase foi realizada depois de quinze dias após a última ligação do grupo de intervenção, foi aplicado o pós-teste para todos os participantes de ambos os grupos. Os dados foram processados no programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences – SPSS versão 20, foram usados os testes de McNemar, qui-quadrado e teste exacto de Fisher. O nível de significância adotado foi de p<0,05. O projeto obteve parecer favorável no comitê de ética sob o número 3.018.16. Resultados: Das pessoas que se auto aplicavam a insulina 61,5% era do sexo feminino, 51,9% casadas, 44,2% tinham o fundamental 2 incompleto, 30,8% trabalham e tinham uma média de idade de 56 anos. Em relação as variáveis clínicas 83,5% tinha diabetes tipo 2, com tempo de aplicação da insulina de um a cinco anos (48,1%), 68,4% usavam a insulina duas vezes por dia e 39,2% receberam orientação sobre a aplicação do enfermeiro. O acompanhamento por telefone demonstrou-se eficiente com valores estatisticamente significativos em 19 das questões do grupo de intervenção. Nos itens sobre a técnica de preparo da insulina observou-se melhoria da maior parte das respostas. Deve-se destacar os itens com maior valor de significância no pós-teste do grupo de intervenção, são eles: reutiliza a seringa p<0,001, limpa a tampa do frasco, homogeneíza a insulina rolando o frasco entre as mãos, injeta ar no frasco correspondente ao valor que devem aspirar, ambas respostas obtiveram p<0,001. Além disso, houve melhora no conhecimento sobre os locais de aplicação da insulina, onde após as intervenções: 67,6% usam a parte externa dos braços, 97,3% a região abdominal, 89,2% as laterais das coxas e 35,1% a região glútea. 100% realizavam a limpeza da pele antes da aplicação e 97,3% descartavam os perfuro cortantes em garrafas PET e levavam para o posto de saúde para o descarte correto. Conclusão: Conclui-se que as intervenções e o acompanhamento por telefone foram efetivos como estratégia de melhoria do conhecimento sobre as técnicas de aplicação da insulina. Nesse sentido, verificou-se que a intervenção educativa por telefone obteve efetividade em diversos aspectos de conhecimento sobre a prática de aplicação da insulina.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1735254 - ANA LARISSA GOMES MACHADO
Presidente - 1552848 - ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
Externo à Instituição - GERDANE CELENE NUNES CARVALHO - UESPI
Interno - 2730060 - LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
Notícia cadastrada em: 28/01/2020 10:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 20/05/2024 03:47