Notícias

Banca de DEFESA: RAFAEL LEVI LOUCHARD SILVA DA CUNHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAEL LEVI LOUCHARD SILVA DA CUNHA
DATA: 20/03/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Sala do Conselho Departamental, Centro de Ciências da Saúde - UFPI / Avenida: Frei Serafim, Nº 2280
TÍTULO: ÂNGULO DE FASE COMO PREDITOR DE DESEMPENHO FÍSICO EM TESTE DE CORRIDA ATÉ A EXAUSTÃO.
PALAVRAS-CHAVES: Treino aeróbico. Composição corporal. Desempenho físico.
PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

INTRODUÇÃO: O Ângulo de Fase (AF) é uma variável determinada pela
Bioimpedância Elétrica (BIA) que vem ganhando atenção nos últimos anos. Acredita-
se que AF pode fornecer importantes dados clínicos a serem aplicados na ciência do
esporte, uma vez que atletas são regularmente submetidos esforços expressivos e
exigem adequada recuperação celular. OBJETIVO: Analisar a associação do AF
com o desempenho esportivo em teste de corrida até a exaustão. METODOLOGIA:
Estudo clínico, randomizado, com delineamento crossover, realizado corredores
amadores com idade entre 18 e 40 anos de idade que foram submetidos a um
protocolo composto de quatro estágios: 1) teste ergoespirométrico para determinar o
consumo de oxigênio e adotar o valor para a carga usada nas demais etapas; 2)
protocolo controle sem hidratação (PC); 3) protocolo experimental (PE) que consistia
em dois estágios distintos onde em cada estágio o voluntário fazia a ingestão de
uma bebida diferente (Isotônico Gatorade® e água). Os participantes foram
submetidos a um teste de exaustão em esteira a VO 2máx e 1hora de recuperação em
repouso. Todos os estágios foram divididos em dois momentos, momento um (M1) e
momento dois (M2), que correspondiam ao pré e pós teste físico, respectivamente.
Foram feitas também avaliações: antropométricas (peso e estatura); composição
corporal (massa muscular, percentual de gordura, ângulo de fase, água intracelular - 

AI e extracelular - AE) e desempenho físico. Os dados foram analisados por meio do
programa estatístico SPSS for Windows 20.0. RESULTADOS: De acordo com os
resultados obtidos, o AF da perna avaliado por BIA mostrou correlação significativa
com o desempenho apenas no grupo controle, sendo que os grupos-testes não
houve correlação significativa. Para os demais parâmetros funcionais e de
composição corporal, não foi verificada associação com o desempenho físico. No
tocante à AE, após o teste de corrida verificou-se que houve redução significativa
em todos os grupos. Já com relação à AI, os valores diferiram no grupo Gatorade,
ainda que não houvesse diferença significativa entre as bebidas ingeridas.
CONCLUSÃO: Os parâmetros AF e água corporal podem ser importantes para a
monitorização de praticantes desportivos, incluindo os de médio rendimento,
podendo prever possíveis danos na integridade das células provenientes de cargas
de treino excessivas, porém, as investigações correlacionadas ainda mostram
resultados controversos e ainda há muito o que se elucidar sobre o AF como preditor
de desempenho, sendo necessários novos estudos para ratificar esta hipótese.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2474780 - GERARDO VASCONCELOS MESQUITA
Externo ao Programa - 2473942 - OSVALDO MENDES DE OLIVEIRA FILHO
Externo ao Programa - 422389 - SERGIO LUIZ GALAN RIBEIRO
Presidente - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 09/03/2020 11:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/05/2024 00:12