Notícias

Banca de DEFESA: FRANCISCO MAURÍLIO DA SILVA CARRIAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO MAURÍLIO DA SILVA CARRIAS
DATA: 18/06/2020
HORA: 16:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO: EFEITOS CARDIORRESPIRATÓRIOS DA RETIRADA PRECOCE DO LEITO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA
PALAVRAS-CHAVES: Unidades de Terapia Intensiva, Cirurgia Torácica, Posicionamento do Paciente.
PÁGINAS: 48
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A cirurgia cardiovascular traz uma série de repercussões ao sistema respiratório e a imobilidade prolongada do pós-operatório pode gerar descondicionamento físico, perda de massa muscular e perdas funcionais que interferem nas atividades de vida diárias. A fisioterapia visa estimular o retorno mais breve às atividades físicas cotidianas, manter a capacidade funcional, desenvolver a confiança do paciente e minimizar complicações pulmonares. OBJETIVO: Verificar as repercussões cardiorrespiratórias da sedestação precoce, fora do leito, em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca eletiva. MÉTODOS: Trata-se de um estudo clínico, intervencionista e de caráter quantitativo, realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva Cardíaca de um hospital privado referência em cardiologia de Teresina Piauí, no período de setembro a dezembro de 2019. Foram incluídos os pacientes que foram admitidos na UTI no pós- operatório de cirurgia cardíaca e que estavam hemodinamicamente estáveis. A priori foram registrados dados do prontuário e, nas primeiras 24- 48 horas, os pacientes realizaram a sedestação precoce, fora do leito, sendo monitorizados durante as duas horas realizadas durante o procedimento. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa e para análise estatística utilizou-se o Programa Stata/SE 16. RESULTADOS: Dos 20 pacientes, a maioria eram homens (75%), com média de idade 67,76±9,61e 75% realizou revascularização do miocárdio. Não foram observados efeitos adversos significativos durante a sedestação. Após a realização do teste T de student, mas houve aumento da frequência cardíaca (p=0,0099), respiratória (<0,0001), PaO2 (p=0,0007) e da quantidade de liquido drenado (p=0,0066) CONCLUSÃO: A retirada precoce não gerou instabilidade hemodinâmica tampouco respiratória, mostrando ser uma estratégia de reabilitação funcional segura e viável ao paciente pós-cirúrgico.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 027.590.873-95 - ANDREA FELINTO MOURA - UFC
Externo à Instituição - FABIANA TEIXEIRA DE CARVALHO PORTELA - UESPI
Interno - 3342770 - MARCOS ANTONIO PEREIRA DOS SANTOS
Presidente - 2365867 - MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
Notícia cadastrada em: 08/06/2020 17:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 30/05/2024 01:19