Notícias

Banca de DEFESA: RAYSSA DOURADO FONTENELE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAYSSA DOURADO FONTENELE
DATA: 21/07/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Departamento de Morfologia UFPI
TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HISTOPATOLÓGICAS PULMONARES E APOPTOSE NA INFECÇÃO AGUDA E CRÔNICA EM BALB/c EXPERIMENTALMENTE INFECTADOS COM LEISHMANIA INFANTUM CHAGASI
PALAVRAS-CHAVES: Inflamação. Pulmão. Leishmania. Camundongo. Apoptose
PÁGINAS: 31
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

As alterações inflamatórias consistem na principal lesão pulmonar observada durante o curso da
infecção por Leishmania chagasi infantum e a apoptose desempenha um papel importante na resolução
da resposta inflamatória. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi caracterizar a resposta
inflamatória e quantificar a apoptose em camundongos BALB´c experimentalmente infectados com
Leishmania spp, correlacionando com o período pós infecção (agudo ou crônico). Camundongos
BALB´c foram infectados com 5x10
6 promastigotas purificadas de Leishmania (L) infantum chagasi
(MHOM/BR/72/cepa 46) em meio RPMI 1640. Fragmentos de pulmão foram coletados e processados
por técnica de rotina para posterior coloração com HE e imunoperoxidase. Alterações histopatológicas
foram analisadas através da aplicação de score (0-4) de acordo com a intensidade da lesão (análise
semiquantitativa). Procedeu-se a morfometria da resposta inflamatória pela contagem diferencial das
células inflamatórias, bem como do índice apoptótico. Como resultado, no grupo agudo observou-se
hiperemia vascular, congestão, infiltrado inflamatório multifocal, perivascular médio de macrófagos,
linfócitos e neutrófilos. No grupo crônico notou-se hiperemia vascular, congestão, infiltrado
inflamatório mononuclear e deposição de fibrilas de colágeno. Não foi encontrado amastigotas de
Leishmania e/ou seus antígenos no tecido pulmonar pela técnica de imunoistoquímica. Na
morfometria, congestão e a inflamação obtiveram score superior nos camundongos infectados em
relação aos seus respectivos controles. A celularidade do grupo infectado (agudo e crônico) foi
superior aos controles, com predominância de neutrófilos, linfócitos e plasmócitos no grupo infectado
agudo e de macrófagos no grupo infectado crônico, com diferença estatística significativa.
Adicionalmente, grupo infectado agudo obteve um índice apoptótico superior ao grupo infectado
crônico. Com base em nossos resultados concluímos que durante o processo inflamatório, na
progressão do período pós infecção, alterações vasculares são predominantes no período agudo.
Enquanto no período crônico, há uma exacerbação da resposta inflamatória com a predominância de
macrófagos. A apoptose atua na modulação da resposta inflamatória pulmonar.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2572995 - AIRTON MENDES CONDE JUNIOR
Externo ao Programa - 3574104 - KARINN DE ARAUJO SOARES BASTOS
Externo ao Programa - 2261056 - KELLY PALOMBIT
Externo ao Programa - 2899164 - MAIRA SOARES FERRAZ
Notícia cadastrada em: 05/07/2021 16:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/05/2024 03:26