Notícias

Banca de DEFESA: LAYANY FEITOSA PINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAYANY FEITOSA PINHO
DATA: 16/12/2022
HORA: 08:30
LOCAL: PLATAFORMA GOOGLE MEET
TÍTULO: "ANÁLISE DA EVOLUÇÃO GESTACIONAL APÓS O DIAGNÓSTICO DE COVID-19”
PALAVRAS-CHAVES: COVID-19. Período gestacional. Complicações clínicas. Complicações neonatais.
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Introdução: A infecção pelo novo coronavírus, denominada de COVID-19, tornou-se um desafio global por desestruturar de forma relevante contextos sociais, econômicos, políticos e de saúde, que apresenta elevado potencial de propagação e contribui para maior vulnerabilidade de subgrupos populacionais, dentre eles o das gestantes. As complicações maternas e fetais, necessitam de estratégias de cuidados, tendo em vista que uma grande parcela dessa população apresenta dificuldades de acesso ao pré-natal, sendo potencializado pelo cenário pandêmico e pelas medidas de controle epidemiológico. Objetivo: Analisar o desfecho materno-fetal de pacientes com diagnóstico de COVID-19 em uma maternidade de referência do estado do Piauí. Metodologia: Trata-se de um estudo de caso controle que foi desenvolvido em duas maternidades da cidade de Teresina-PI. A amostra compreendeu 300 gestantes, internadas entre 2020 e 2021, que foram distribuídas em dois grupos: caso - 150 com diagnóstico de COVID-19; controle – 150 sem evidências da infecção. A coleta de dados foi realizada por meio de um instrumento próprio, composto por variáveis sociodemográficas e clínicas no período de dezembro de 2021 à janeiro de 2022. A análise foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. O estudo obteve aprovação pelo Comitê de Ética em pesquisa da Universidade Federal do Piauí sob o parecer de número 5.134.241. Resultados: Os resultados demonstram que em ambos os grupos prevaleceu gestantes na faixa etária de 18 a 25 anos, residentes em Teresina, com ensino médio completo (p<0,05). Quanto ao estado civil, verificou-se entre o grupo caso que a maioria eram casadas 93 (62,00%) e no grupo controle a prevalência de solteiras 84(56,00%). Além disso, a comorbidade mais identificada foi hipertensão arterial. Cerca de 135 (90%) participantes do grupo caso, testaram positivo para COVID-19 no terceiro trimestre, e os sintomas mais expressivos compreenderam a tosse (52%) e dispneia (26,67%). Nos dois grupos foi mais prevalente o desfecho de alta hospitalar, sendo 125 (83,3%) no grupo caso e 150 (100,0%) no controle. No entanto, cerca de 22 pacientes com COVID-19 (14,67%) precisaram de transferência para Unidade de Terapia Intensiva, e três pacientes (2%) evoluíram para óbito. As gestantes inseridas no grupo caso apresentaram proporção estatisticamente maior de complicações, a ocorrência de trabalho de parto prematuro, oligoidrâmnio, sangramento vaginal e cesariana. Ainda, a chance de prematuridade foi 18,43 vezes maior e de cesariano 2,39 vezes quando comparada as gestantes sem evidências laboratoriais da infecção. Além disso, a maior ocorrência de complicações e alterações neonatais foi registrada entre as gestantes diagnosticadas com COVID-19. Conclusão: As gestantes com COVID-19 apresentaram proporção estatisticamente maior de complicações em relação ao grupo controle, tendo como comorbidades associadas principalmente a hipertensão arterial e diabetes.        

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Interno - 423072 - LAURO LOURIVAL LOPES FILHO
Interno - 1551620 - MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
Externo à Instituição - FLAVIA DANIELLI MARTINS LIMA - UNINASSAU
Notícia cadastrada em: 07/12/2022 14:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 20/05/2024 03:56