Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: IRENE SOUSA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IRENE SOUSA DA SILVA
DATA: 29/08/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Ciencias e Saúde
TÍTULO:

ÓBITOS EVITÁVEIS EM MENORES DE UM ANO NA CIDADE DE TERESINA NO PERÍODO DE 2007 A 2011


PALAVRAS-CHAVES:

Mortalidade infantil. Causas de óbito. Óbito fetal. Serviços de Saúde


PÁGINAS: 155
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem de Saúde Pública
RESUMO:

SILVA, I. S. Óbitos evitáveis em menores de um ano na cidade de Teresina no período de 2007 a 2011. 2014. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Ciências e Saúde, Universidade Federal do Piauí. Teresina-PI

 

RESUMO

 

Mortes evitáveis ou reduzíveis são aquelas preveníveis, total ou parcialmente, por ações efetivas dos serviços de saúde que estejam acessíveis em um determinado local e época. É considerada um indicador sensível à qualidade e diversidade da atenção à saúde prestada pelo sistema de saúde como uma medida resultado ou de impacto dos serviços de saúde. Este estudo analisou as causas de óbito evitáveis em menores de um ano de idade, filhos de mães residentes no município de Teresina, no período de 2007 a 2011. Trata-se de um estudo transversal que coletou junto às bases de dados do sistema de informação de mortalidade e sistema de informação de nascimentos. Foram analisados 1.058 óbitos para as variáveis: causa básica do óbito na classificação de causa evitável, causa mal definida e causa não claramente evitável, de acordo com a lista brasileira de causas de mortes evitáveis por intervenções do SUS. Para avaliar os fatores relacionados ao óbito evitável (fatores sociais, biológicos e assistência à saúde) considerou-se casos os óbitos evitáveis e controle os não claramente evitável. Os dados foram processados no programa SPSS (versão 20.0), calculou-se a taxa de mortalidade infantil evitável, teste qui-quadrado, análise bivariada e razão de chance ao nível de significância de  p <0,05 para associação dos fatores relacionados aos óbitos evitáveis.  Análise das causas básicas do óbito mostrou que 71,5% foram classificados como evitáveis, 28% não claramente evitável e 0,57% causas mal definidas. A taxa de mortalidade infantil evitável passou de 11,59/1000NV em 2007 para 10,01/1000NV em 2011 e redução relativa proporcional de 14%. Predominou o subgrupo de reduzíveis por adequada atenção a mulher na gestação (65,3%) tendo como causas mais frequentes as afecções maternas que afetam o feto e RN, transtornos relacionados com gestação de curta duração e baixo peso ao nascer. As causas reduzíveis por adequada atenção a mulher no parto (20,2%) tiveram como principais causas: hipóxia intrauterina e asfixia ao nascer, placenta prévia e descolamento prematuro da placenta. Evitáveis por adequada atenção ao RN (14,4%) e contribuíram principalmente as infecções e transtornos respiratórios específicos do período perinatal. Causas reduzíveis por ações de diagnóstico e tratamento adequado (7%) e de promoção à saúde, vinculadas a ações adequadas de atenção à saúde (5,4%). Associou-se ao óbito evitável o peso ao nascer, prematuridade, malformação congênita, natureza jurídica do hospital e tipo de parto. A taxa de mortalidade infantil teve pequena redução, elevada proporção de óbitos evitáveis, sugerindo um desafio na organização dos três níveis de atenção a saúde.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1552848 - ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
Externo ao Programa - 2730060 - LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
Externo à Instituição - MARIA EDILEUZA SOARES MOURA - UEMA
Presidente - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Notícia cadastrada em: 28/08/2014 09:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 30/05/2024 03:04