Notícias

Banca de DEFESA: MARIA ALINE FERREIRA DE CERQUEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA ALINE FERREIRA DE CERQUEIRA
DATA: 19/11/2014
HORA: 15:00
LOCAL: Centro de Ciências da Saúde - CCS
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS PERIFÉRICOS E MEDULARES EM PACIENTES COM LEISHMANIOSE VISCERAL: UMA CORRELAÇÃO COM PROGNÓSTICO CLÍNICO


PALAVRAS-CHAVES:

Leishmaniose visceral; hemograma; mielograma.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Clínica Médica
ESPECIALIDADE: Hematologia
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A medula óssea de pacientes com leishmaniose visceral (LV) geralmente costuma ser hiperplásica e densamente parasitada. Porém, durante as fases mais adiantadas da infecção, ocorre desregulação da hematopoese caracterizada pela diminuição da produção celular, sendo as infecções, as hemorragias e a anemia grave responsáveis por grande parte das mortes por LV. O objetivo do presente estudo foi descrever os parâmetros hematológicos quantitativos e os achados citomorfológicos medulares em pacientes com leishmaniose visceral, correlacionando - os ao prognóstico clínico. PACIENTES E MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo composto por 40 pacientes, admitidos em hospital de referência no período de dezembro de 2006 a maio de 2007. Foram avaliados os índices hematimétricos do hemograma no momento da admissão além de avaliação citomorfológica medular executada por 02 hematologistas, em momentos distintos e independentes, através de lâminas coradas pelo método May – Grunwald – Giemsa. RESULTADOS: Do total de pacientes avaliados, a maioria era do sexo masculino (52,5%), procedente do interior do Maranhão (45%), residente em área urbana (65%) e recebeu alta com melhora clínica (85%). Os valores médios de hemoglobina encontrados foram de 7,8±1,32 g/dL. A contagem média de leucócitos totais foi de 3173 ± 2177/mm³ enquanto que os níveis médios de plaquetas foram de 111.570 ± 75.880/mm³. Em 22,5% dos pacientes, havia neutropenia grave que não demonstrou ser preditora para óbito dos pacientes. Em 52,5% dos casos, a medula óssea era normocelular. Figuras de displasia foram frequentes, sendo que 26% das amostras analisadas mostravam diseritropoese, 50% evidenciavam disgranulopoese e 21% mostravam dismegacariopoese. Entre o total de pacientes que evoluiu para o desfecho fatal, 66% possuíam medula hipocelular e 83% apresentavam hiperplasia medular no setor eritroide. CONCLUSÃO: Na vigência de LV, a maioria dos pacientes demonstra anemia, leucopenia e/ou plaquetopenia porém também é possível a existência de contagens mais elevadas, dentro dos parâmetros da normalidade e sem correlação com o prognóstico dos acometidos. Achados de displasia medular também são frequentes nesse grupo mas não sugerem associação com o desfecho clínico dos pacientes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1793911 - BRUNNA EULALIO ALVES
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Interno - 571048 - DORCAS LAMOUNIER COSTA
Externo à Instituição - VLADIMIR COSTA SILVA - UFPI
Notícia cadastrada em: 21/10/2014 16:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/05/2024 04:05