Notícias

Banca de DEFESA: DANIEL RAMOS DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIEL RAMOS DOS SANTOS
DATA: 21/09/2012
HORA: 08:30
LOCAL: SALA DE VIDEO I - CCHL
TÍTULO:

A EPISTEMOLOGIA NATURALIZADA DE QUINE E SUA RELAÇÃO COM A NORMATIVIDADE EPISTÊMICA

 


PALAVRAS-CHAVES:

Quine; Epistemologia naturalizada; epistemologia tradicional; normatividade epistêmica.

 


PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Filosofia
SUBÁREA: Epistemologia
RESUMO:

A presente dissertação tem como objetivo investigar a relação da epistemologia naturalizada de Willard Quine como a normatividade epistêmica. O projeto epistemológico quiniano surge como um resultado das críticas que Quine direciona contra o que podemos chamar de ‘posição epistemológica tradicional’. As críticas de Quine sugerem que o projeto da epistemologia tradicional, com sua pretensão, dentre outras, de fundamentar as ciências naturais, deve ser abandonado. Um dos aspectos fundamentais da posição tradicional, além do fundacionismo, é a normatividade. Aceitar a sugestão de Quine, de abandonar as pretensões da epistemologia tradicional, como sendo impossíveis de serem alcanças – como defenderá Quine – em favor de uma posição mais modesta, que se encontra dentro do contexto da própria ciência natural, parece obviamente implicar o abandono dos elementos ou noções que caracterizam a epistemologia tradicional, como as descritas acima, e além daquelas, a ideia de uma filosofia primeira e a concepção apriorística. Com isso, a epistemologia passaria apenas a fazer descrições, já que nesta nova perspectiva, o conhecimento é entendido como algo natural, bastando apenas descrevermos como ele ocorre. Isso levaria, claro, a uma extinção da separação entre ciência e epistemologia. A epistemologia se tornaria uma ‘epistemologia científica’. O problema aqui pode ser formulado na seguinte pergunta: por que continuar a chamar esse projeto naturalista de epistemologia, já que não são mais consideradas as características que constituem aquilo que podemos chamar propriamente de epistemologia? Uma resposta seria a de que Quine, de modo surpreendente, a despeito de suas críticas a toda tradição epistemológica, irá defender a manutenção em seu projeto naturalista, daquilo que ele chama de elemento característico da epistemologia, a saber, a normatividade. Portanto, nossa investigação consistirá em saber como Quine pretende responder aos críticos e conciliar duas concepções que a princípio são antagônicas, naturalismo e normatividade. O texto terá a seguinte estrutura: no primeiro capítulo será feita uma breve apresentação do que seria a epistemologia tradicional e qual seria, dentro desta, o alvo das crítica quiniana; no segundo, apresentaremos a epistemologia naturalizadas com suas principais teses; no terceiro e último, investigaremos como Quine pretende sustentar a manutenção da relação entre epistemologia naturalizada e normatividade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDRÉ LECLERC - UFC
Interno - 1550705 - LUIZIR DE OLIVEIRA
Presidente - 341849 - MARIA CRISTINA DE TAVORA SPARANO
Notícia cadastrada em: 06/09/2012 17:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 16/08/2022 04:34