Notícias

Banca de DEFESA: KEYLLA MARIA DE SA URTIGA AITA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KEYLLA MARIA DE SA URTIGA AITA
DATA: 06/09/2016
HORA: 09:00
LOCAL: NUPCelt/UFPI/Teresina
TÍTULO:

SISTEMA ESPECIALISTA FACILITADOR DA IDENTIFICAÇÃO EPITÓPICA DA ESPECIFICIDADE DO ANTICORPO ANTI-HLA PRÉ-FORMADO EM SORO DE CANDIDATOS A TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS.


PALAVRAS-CHAVES:

Análise epitópica, HLA, sistemas especialistassoftware, epítopos.



PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Ciência da Computação
RESUMO:

A compatibilidade HLA (Human Leukocyte Antigen)entre o par doador e um candidato a transplante de órgãos ou tecidos depende da identidade da molécula HLA, considerada como o principal antígeno no transplante. O doador ideal, portanto, é aquele cujas moléculas HLA expressas em suas células são também compartilhadas pelo receptorEntretanto,essa condição é rara e, na maioria das vezes, o transplante é realizado com grandes diferenças, acarretando ativação do sistema imune do receptor, tornando-o sensibilizado para os antígenos HLA, favorecendo a ocorrência drejeição do enxerto, menor sobrevida e dificuldade para identificar um novo doador compatível. Assim, mais do que identificar uma combinação perfeita entre doador e receptor, pode-se usar o conceito de compatibilidade HLA entre os pares, pois, embora não haja identidade total, as regiões HLA do doador, que são passíveis de reconhecimento pelo sistema imune do receptor,são compartilhadas e não são capazes de ativar uma resposta imune, logo são moléculas adequadas para o transplante. Essas estruturas moleculares responsáveis pela interação com os receptores de linfócitos T e B e/ou interação com anticorpo pré-formado são denominadas de epítopos estruturais e o processo de identificação desses epítopos para determinar a formação do par doador-receptor mais adequado para o transplante denomina-se: análise da reatividade epitópica e tem como componente essencial, o epletDevido à sua complexidadetem-se encontrado muita resistência para inserir a análise da reatividade epitópica na rotina clínica laboratorial. Neste sentido, muitos esforços têm sido despendidos para minimizar esse impacto. Com base noprimeiro algoritmo para facilitar a análise da reatividade epitópica (HLAMatchmaker),  o grupo de pesquisa do LIB – UFPI vem desenvolvendo, desde 2008, ferramentas que facilitam o processo de análise e contribuem para a universalização e uso do conceito de análise epitópica, culminando, em 2013, com o desenvolvimento do softwareEpViX. O EpViX é um importante programa facilitador do uso do conhecimento da compatibilidade epitópica, contudo, a fase de análise da reatividade epitópica de todos os potenciais receptoreem lista de espera permanece laboriosa, repetitiva e manual. Além disto, não se dispõe de recursos humanos qualificados para sua execução, bem como para o treinamento de novos usuários nos laboratórios de histocompatibilidade, o que nos fez propor um sistema especialista, denominado EpAssistant, capaz de identificar automaticamente a especificidade epitópica do anticorpo anti-HLA pré-formado no soro de candidatos a transplante de órgãos e tecidos e, assim, acelerar essa importante etapa na fase do pré-transplante, sendo útil, também, como um elemento para educar e ensinar novos usuários nesse campo do conhecimento.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1716862 - ADALBERTO SOCORRO DA SILVA
Interno - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Externo à Instituição - MARCO ANTONIO GUTIERREZ - USP
Presidente - 1247107 - SEMIRAMIS JAMIL HADAD DO MONTE
Externo ao Programa - 1446435 - VINICIUS PONTE MACHADO
Notícia cadastrada em: 04/08/2016 16:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 03:16