Notícias

Banca de DEFESA: ELISA APARECIDA ALVES PAIVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELISA APARECIDA ALVES PAIVA
DATA: 12/09/2016
HORA: 08:30
LOCAL: NUPCelt/UFPI/Teresina
TÍTULO:

Análise genética do gênero Cenostigma (Fabaceae: Caesalpinioidae)


PALAVRAS-CHAVES:

conservação, Caneleiro, sequenciamento.


PÁGINAS: 103
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Biologia Geral
RESUMO:
Cenostigma é um gênero de árvores e arbustos nativos do Brasil pertencente à família Fabaceae que abriga as espécies C. macrophyllum e C. tocantinum. A primeira é conhecida popularmente por caneleiro, canela-de velho, canela-de-veado, maraximbé ou fava-do-campo e ocorre em áreas de cerrado e caatinga das regiões Norte e Nordeste do Brasil. São abundantes ao longo de estradas e aparentemente um colonizador local. É empregada como planta ornamental, sobretudo na região da grande Teresina – PI, onde foi escolhida como a árvore símbolo da cidade. Suas folhas, flores e a casca do caule são usadas na medicina popular para o tratamento de doenças estomacais e intestinais. Dentre as propriedades comprovadas em estudos científicos estão antiinflamatórias, analgésicas, antimicrobiana e anti-ulcerogênica. C. tocantinum apresenta distribuição geográfica mais restrita, concentrando-se no Pará, Amazonas e Tocantins. É conhecida por pau-pretinho e cássia-rodoviária. Sua madeira é usada na indústria da construção civil, podendo, também, ser obtido um corante verde-oliva. Já as árvores são usadas para ornamentar ruas e praças devido às suas flores exuberantes e troncos atraentes. Com o trabalho, objetivou-se determinar a maneira mais eficaz de se extrair DNA de C. macrophyllum, assim como o tecido vegetal mais eficiente como fonte de DNA para estudos moleculares posteriores. A região não codificante do DNA cloroplastídico (psbB-psbF) foi sequenciada com o intuito de descrever a variabilidade genética existente em populações naturais de C. macrophyllum e C. tocantinum para esta região genômica. As análises dos dados mostraram um fragmento amplificado de 762 pb, onde 12 sítios se mostraram polimórficos. Quatro haplótipos foram detectados após sequenciar um total de 123 indivíduos evidenciando que essa região é bastante conservada. A relação transição/transversão foi de 1,68 e as frequências das bases foram fA = 0.3058, fT = 0.3373, fC = 0.1719, e fG = 0.1850. A AMOVA das sequências do DNAcp de Cenostigma sp. baseada nas frequências dos haplótipos revelou que 21,13 % da variação genética ocorreu dentro das populações deCenostigma macrophillum C. tocantinum, enquanto que 78,87 % da variação genética ocorreu entre as populações. Quando as populações de C. macrophillum foram observadas separadamente, detectou-se uma variação intraespecífica de 64,64 % entre as populações investigadas. Dentro das populações a variação genética foi de 35,36%. O valor de ΦST para a espécie foi de 0,646 (P = 0,00). Estes resultados corroboram com dados da literatura que afirmam que tal padrão de variação é comumente observado em estudos filogeográficos de espécies arbóreas e plantas de regiões Neotropicais.
 

MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1342714 - ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
Presidente - 247.195.523-15 - FABIO MENDONCA DINIZ - EMBRAPA
Externo ao Programa - 068.464.242-53 - PAULO SARMANHO DA COSTA LIMA - EMBRAPA
Externo ao Programa - 423361 - REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 18/08/2016 11:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 07:55