Notícias

Banca de DEFESA: HELIO DE BARROS FERNANDES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HELIO DE BARROS FERNANDES
DATA: 20/09/2016
HORA: 14:30
LOCAL: NUPCelt/UFPI/Teresina
TÍTULO:

Preparação de nanopartículas contendo α-terpineol e seus efeitos sobre lesões gástricas em roedores. 


PALAVRAS-CHAVES:

α-terpineol, nanopartículas, gastroproteção, antioxidante, cicatrização gástrica.


PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A úlcera péptica é um distúrbio gástrico que resulta do enfraquecimento dos mecanismos citoprotetores e/ou sobrepujo de fatores lesivos sobre sua mucosa. A despeito dos avanços na terapia vigente de úlceras pépticas, os fármacos utilizados manifestam reações adversas como hipersensibilidade, arritmias, ginecomastia e alterações hematopoéticas.  Na busca por moléculas mais efetivas e seguras para o tratamento destes distúrbios, os produtos naturais representam vasta fonte para pesquisa e desenvolvimento de novos compostos, como exemplo a carbenoxolona, extraída das raizes de Glycyrrhiza glabra L, comercializada contra úlcera péptica. O α-terpineol um monoterpeno encontrado no óleo essencial de espécies como Melaleuca quinquenervia (Cav.) S.T.Blake, Pinus taiwanensis Hayata ou obtido pela hidratação do α-pineno, apresentou atividade antiúlcera em estudos preliminares de lesão aguda em roedores. Tendo em vista que o promissor efeito gastroprotetor deste monoterpeno deve ser investigado, este trabalho teve como objetivo investigar os seus possíveis mecanismos de ação na proteção gástrica assim como efeito de nanopartículas de polimetacrilato de metila contendo α-terpineol sobre lesões gástricas em roedores. No estudo de investigação dos mecanismos de ação, foram utilizados modelos de lesão aguda por etanol, etanol acidificado em camundongos e isquemia-reperfusão em ratos e em modelos crônicos indução de úlcera por ácido acético em rato. O α-terpineol exibiu efeitos citoprotetores e cicatrizantes sobre a mucosa gástrica com aumento das defesas antioxidantes, produção de muco e diminuição da inflamação no local da lesão, através da participação de mediadores importantes como óxido nítrico e grupos sulfidrilas não-proteicos sem apresentar indicativos de toxicidade subcrônica. As nanopartículas contendo α-terpineol foram preparadas pela técnica de polimerização em microemulsão, caracterizando-as pelo índice de polidisperssão, potencial zeta, TGA/DSC, infravermelho e taxa de encapsulação.  O tamanho das partículas pelo método de dispersão de luz dinâmica foi de 663,7 ±56 nm, com taxa de encapsulação de 73± 3,1%. Nos ensaios in vivo as nanopartículas na dose de 12,5 mg/kg de formulação foram capazes de reduzir significativamente as lesões agudas induzidas por etanol absoluto 1, 3 e 6 horas após sua administração em 19,21 ±1,78%, 14,41 ± 1,92% e 14,39 ± 4,82%, respectivamente, em comparação ao grupo administrado apenas veículo (30,96 ±3,87%) e (31,88 ± 4,33%), mostrando que a preparação contendo este fármaco apresentou atividade antiulcerogênica neste modelo de lesão aguda, sendo necessários mais estudos para uma caracterização mais completa desta formulação.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Externo ao Programa - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Externo ao Programa - 423602 - MARIA JOSE DOS SANTOS SOARES
Externo ao Programa - 2457259 - MOISES TOLENTINO BENTO DA SILVA
Presidente - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 31/08/2016 10:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 04:49