Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELLO DE ALENCAR SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELLO DE ALENCAR SILVA
DATA: 27/09/2016
HORA: 09:00
LOCAL: NUPCelt/UFPI/Teresina
TÍTULO:

BIOCOMPATIBILIDADE, IMUNOMODULAÇÃO E TOXICIDADE DA MEMBRANA CELULÓSICA BACTERIANA INTEGRADA ÀS CÉLULAS TRONCO MESENQUIMAIS DE MEDULA ÓSSEA DE COELHOS


PALAVRAS-CHAVES:

Células-tronco mesenquimais. Engenharia Tecidual. Celulose.


PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Os avanços na medicina regenerativa está reconfigurando-se através da utilização de biomateriais e associações entre matrizes celulares e outros componentes capazes de acelerar o processo reparativo de forma a proporcionar integridade ao tecido. Faz parte dos anseios dos pesquisadores encontrar um biomaterial que ofereça condições de biocompatibilidade, integrabilidade e capaz de manter as propriedades do tecido. Desta forma objetivou-se caracterizar e avaliar o comportamento in vitro de células-tronco mesenquimais de medula óssea (CTMMO) de coelhos, quanto adesão, biointegração à membrana celulósica bacteriana, capacidade de ativação de células do sistema imune e citotoxicidade do biomaterial. Neste estudo, até o momento, foi utilizado um coelho macho proveniente de criador rural da cidade de Teresina. Foram isodadas células tronco mesenquimais a partir de aspirados de medula óssea para os ensaios de unidade formadora de colônia fibroblastóide (UFC-F), indução da diferenciação celular osteogênica e condrogênica, estudo da biointegração celular à membrana celulósica bacteriana por meio da microscopia eletrônica de varredura (MEV) no intervalo de tempo 1 , 7 e 14 dias. O isolamento de CTMMO foram obtidos a partir do volume inicial de 1,5ml de aspirado medular do fêmur. No ensaio UFC-F de CTMMO foram observadas células com morfologia fibroblastóide organizadas em colônias distribuídas pela área de superfície da cultura. Na curva de crescimento de CTMMO foram observadas três fases (lag, log e platô) no decorrer de 15 dias. Após a indução osteogênica e condrogênica de CTMMO foram visualizadas matriz extracelular com depósitos de cálcio e corpo esferóide, respectivamente. Por meio da MEV foi evidenciado a biointegração das CTMMO à membrana celulósica bacteriana. Os dados apresentados neste trabalho são resultados parciais da tese de doutorado em Biotecnologia e de acordo com as observações feitas até o momento, podemos afirmar que a associação entre a membrana celulósica bacteriana e CTMMO de coelhos possuem grande potencial biointegrativo sem indução de resposta imune.  Para o complemento do trabalho de tese, serão realizados estudos com marcação e rastreamento das CTMMO com Qtraker na membrana celulósica bacteriana, além de teste de rejeição por meio do implante subcutâneo de membrana celulósica bacteriana em coelho e ensaio colorimétrico de Azul de Alamar para averiguar a viabilidade celular. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal (CEEA) da Universidade Federal do Piauí, sob número de protocolo 023/14.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2549060 - CARLA EIRAS
Interno - 1553988 - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO
Externo ao Programa - 1691866 - NAPOLEAO MARTINS ARGOLO NETO
Notícia cadastrada em: 31/08/2016 10:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 08:30