Notícias

Banca de DEFESA: DEBORA CAVALCANTE BRAZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEBORA CAVALCANTE BRAZ
DATA: 18/10/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Pesquisa em Leishmaniose do Instituto Doenças Tropicais Natan Portella
TÍTULO:

O papel da medula óssea no desenvolvimento da leishmaniose visceral grave: desvendando os mecanismos inflamátorios e imunossupressores


PALAVRAS-CHAVES:

Leishmaniose visceral grave, inflamação sistêmica, IL-6, IL-10. 


PÁGINAS: 145
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Introdução: A leishmaniose visceral (LV) é uma protozoose causada pela Leishmania infantum nas Américas e pela Leishmania donovani no subcontinente indiano e no leste da África, regiões em que a doença é endêmica. Os pacientes com a doença grave além das manifestações clássicas como febre, anemia e hepatoesplenomegalia apresentam um quadro inflamatório intenso, sangramento e infecções. No Brasil, entre 5 a 10% dos pacientes com LV apresentam desfechos fatais. Entender a patogênese da doença em sua forma grave é importante para o desenvolvimento e a aplicação de novas terapias. Objetivo geral: Verificar o papel da medula óssea (MO) e do sangue periférico (SP) na patogênese da LV, em particular, da doença grave. Metodologia: O presente estudo envolveu 30 pacientes com LV sintomática (grupo LV), 12 pacientes com suspeita clínica de LV (grupo sem LV/controle não saudável) e 12 pacientes infectados com LV e HIV. Os pacientes foram avaliados quanto aos parâmetros clínicos, laboratoriais, imunofenotipagem de superfície de membrana e intracelular dos leucócitos, além da dosagem de citocinas plasmáticas e do sobrenadante da MO. Resultados. Pacientes com LV apresentaram um aumento dos linfócitos B e neutropenia no SP, aumento dos linfócitos T CD4 no SP e na MO quando comparados aos controles não saudáveis. Com relação as citocinas circulantes, pacientes com LV apresentaram níveis elevados de IL-6 e IL-10 no SP quando foram comparados ao grupo controle, enquanto que na MO foram registrados níveis elevados de IL-6, IL-10, INFγ, TNFα e IL-1β. No que diz respeito a expressão de citocinas pelos leucócitos, os monócitos do SP de pacientes com LV produziram significativamente mais IL-10 quando comparados ao grupo controle. O aumento na expressão de IL-6 por linfócitos B, monócitos e linfócitos T CD8 foi observado apenas no SP de pacientes com LV quando comparados ao grupo controle. Células T CD4 apresentaram maior expressão de IL-6 no SP e na MO. Pacientes com probabilidade de morte acima de 15% podem ser considerados mais graves porque apresentaram níveis mais elevados de IL-6. Linfócitos T CD8+IL6+ e T CD4+IL6+ apresentaram correlação positiva com os níveis plasmáticos de IL-6 e com a probabilidade de morte. Pacientes sem LV, com LV e coinfectados apresentaram níveis significativamente mais elevados de CXCL-8 na MO quando comparado ao SP. Os níveis de TNFα e IL-12 em pacientes coinfectados foram elevados no sangue periférico e na medula óssea. Houve um aumento na %CD14+TNFα+ e %CD14+IL6+ no SP de pacientes coinfectados quando comparados aos pacientes com LV. Elevação da %CD14+IL-10+, %neutrófilos IL-6+ e %TCD8+IL-6+ no SP quando comparado a MO em pacientes coinfectados. Conclusão: Os resultados obtidos nesta pesquisa permitem sugerir que os leucócitos, principalmente os linfócitos T, quando presentes na MO exercem uma atividade regulatória porque apenas no SP foi registrado uma expressão significativa de IL-6 pelas células T, essa citocina tem atividade inflamatória e está correlacionada com gravidade da doença. Nos pacientes coinfectados, os níveis elevados de IL-12 e TNFα sugerem ativação dos linfócitos. O estímulo para o aumento na síntese de IL-6 na corrente sanguínea, um importante parâmetro de gravidade, parece não ter origem na medula óssea em pacientes com LV e coinfectados, outros órgãos parasitados, como o baço, podem ser decisivos na doença grave.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADRIANA CÉSAR BONOMO - FIOCRUZ
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo à Instituição - CLARISSA ROMERO TEIXEIRA - FIOCRUZ
Externo ao Programa - 571048 - DORCAS LAMOUNIER COSTA
Externo à Instituição - WASHINGTON LUIS CONRADO DOS SANTOS - FIOCRUZ
Notícia cadastrada em: 29/09/2016 16:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 05:27