Notícias

Banca de DEFESA: ANA KARINA MARQUES FORTES LUSTOSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA KARINA MARQUES FORTES LUSTOSA
DATA: 02/05/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do curso de Farmácia - UFPI
TÍTULO: Desenvolvimento de géis formulados com nanopartículas de prata sintetizadas in situ contendo goma de cajueiro ftalada ou natural para aplicação como agente antimicrobiano e cicatrizante
PALAVRAS-CHAVES: Goma de cajueiro ftalada. Síntese in situ. Nanopartículas de prata. Atividade antimicrobiana. Cicatrização.
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Com o advento da nanotecnologia, as nanopartículas de prara (AgNPs) vêm se destacando por suas inúmeras propriedades no campo da óptica, catálise e especialmente, devido às suas propriedades antimicrobianas e cicatrizantes. Tais nanopartículas vêm sendo sintetizadas pelos mais diferentes tipos de rotas, podendo ser utilizados produtos naturais, como as gomas exsudadas, como agente estabilizante da solução coloidal.  Deste modo, o objetivo deste trabalho foi desenvolver géis formulados com nanopartículas de prata (AgNPs) sintetizadas in situ em hidrogel de carboximetilcelulose (CMC) contendo goma de cajueiro natural (NCG) ou goma de cajueiro ftalada (PhCG) e avaliar suas atividades antibacterianas e cicatrizantes. Primeiramente, a goma de cajueiro isolada sofreu uma reação com anidrido ftálico sendo que a modificação na estrutura da goma foi confirmada por espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier (FTIR). As AgNPs foram preparadas in situ durante a fabricação do hidrogel contendo CMC e glicerina, utilizando como agente redutor borohidreto de sódio (NaBH4), na proporção de razão molar de 1:6 em relação à prata. Deste modo, foram produzidos um hidrogel contendo AgNPs com goma de cajueiro natural (NCG-AgNPs) e outro contendo AgNPs com goma de cajueiro modificada (PhCG-AgNPs). Um gel sem a presença de prata e goma de cajueiro, para servir de controle (base do hidrogel), também foi confeccionado. O estudo de reologia caracterizou os géis como não newtonianos e pseudoplásticos. Para caracterização das AgNPs utilizou-se: espectroscopia de UV-vis em que a banda máxima para NCG-AgNPs e PhCG-AgNPs foi de 408 e 404 nm, respectivamente; Análise de Rastreamento de Nanopartículas (NTA) onde os compósitos apresentaram tamanho médio 119,7±5 e concentração de 6,36 x 1010 partículas/mL (NCG-AgNPs) e tamanho médio 123,8±8,9 nm com concentração de 4,03 x 1010 partículas/mL (PhCG-AgNPs); Microscopia Eletrônica de Transmissão (MET), que determinou a morfologia das AgNPs nos hidrogéis formados, observando-se a formação de AgNPs triangulares, duplos triângulos e hexágonos para  NCG-AgNPs além de nanos esféricas, quadradas e agregados de esferas irregulares para PhCG-AgNPs; e espectroscopia por energia dispersiva (EDS) que confirmou a presença da prata e a formação das nanopartículas. Para estudar o efeito antimicrobiano dos hidrogéis foi utilizado o teste de contato direto e a determinação das concentrações inibitórias e bactericidas mínimas (CIM e CBM) sobre as bactérias Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa. Constatou-se excelente atividade antimicrobiana pela observação de inibição de crescimento bacteriano sob ambos os géis, inclusive com formação de halos de inibição, além de reduzidos valores de CIM e CBM. Por exemplo, o gel de PhCG-AgNPs sobre P. aeruginosa promoveu uma CBM de 0,84 µgAg/mL. Para a avaliação da atividade cicatrizante, foi utilizado um modelo de ferida cirúrgica em dorso de ratos, sob as quais foram aplicados os hidrogéis com NCG-AgNPs ou PhCG-AgNPs . Um gel de CMC e glicerina foi utilizado como controle. Foram realizadas medidas do ferimento (altura e largura) no 0°, 4°, 7° e 14° dias. A formulação com PhCG-AgNPs  mostrou significante efeito cicatrizante no 4°, 7° e 14° dias. Já a formulação com NCG-AgNPs promoveu uma tendência à cicatrização no 4° dia e um resultado significativo em relação ao grupo controle no 7° dia. As caracterizações dos hidrogéis produzidos com AgNPs sintetizadas in situ atestaram a eficiência desta rota de síntese. Os hidrogéis com AgNPs promoveram excelente atividade antibacteriana além de apresentarem potencial efeito cicatrizante.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1167257 - ANTONIA MARIA DAS GRACAS LOPES CITO
Externo ao Programa - 2714919 - DANIEL DIAS RUFINO ARCANJO
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Externo ao Programa - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Presidente - 1553559 - JOSE ROBERTO DE SOUZA DE ALMEIDA LEITE
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 02/05/2017 09:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 09:41