Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIANA DE MORAIS SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA DE MORAIS SOUSA
DATA: 31/10/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Núcleo Integrado de Morfologia e Pesquisas com Células-tronco (NUPCelt/UFPI)
TÍTULO: Bioacessibilidade e capacidade antioxidante de polifenois e antocianinas do jamelão (Syzygium cumini L. Skeels) e aplicação biotecnológica
PALAVRAS-CHAVES: Syzygium cumini (L.) Skeels; otimização; polifenois; bioacessibilidade; citogenotoxicidade
PÁGINAS: 102
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

SOUSA, M. M. Bioacessibilidade e capacidade antioxidante de polifenois e antocianinas do jamelão (Syzygium cumini L. Skeels) e aplicação biotecnológica. Orientadora: Professora Doutora Nadir do Nascimento Nogueira. 2017. 102p.Tese - Pós-Graduação em Biotecnologia, Rede Nordeste de Biotecnologia, Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí, 2017. A extração de antioxidantes do jamelão é de grande interesse no campo tecnológico e quanto a sua utilização, requerendo condições de processamento que preservem a bioatividade desses compostos. Nesse sentido, a técnica de otimização do sistema solvente de extração, simplex centroide design, foi aplicada objetivando a resposta máxima de rendimento de polifenois e atividade antioxidante. A análise multivariada foi utilizada para otimizar as diferentes propoções de solvente (água, etanol e acetona) para fins de quantificação do conteúdo total de polifenois, flavonoides, flavanois, antocianinas monoméricas, proantocianidinas e atividade antioxidante por DPPH, ABTS e FRAP. Aliado a importância da identificação de fitoquímicos, é fundamental investigar a sua funcionalidade in vitro e in vivo, em decorrência de vários fatores afetarem a sua bioacessibilidade e biodisponibilidade, interferindo diretamente no metabolismo e absorção, de forma que os mais abundantes na dieta não são necessariamente os de maiores concentrações de metabólitos ativos nos tecidos-alvo. Na perspectiva do desenvolvimento de novos produtos alimentícios, além dos aspectos mencionados, é necessária a realização de ensaios toxicológicos e citogenéticos, para verificar a segurança da matéria-prima empregada, ou se o produto atuará com ação terapêutica. A CL50 obtida pelo teste de A. salina (1115 μg.mL-1 ) aponta para efeitos atóxicos das concentrações testadas. No sistema A. cepa, os extratos inibiram o crescimento das raízes, reduziram o índice mitótico e proporcionaram alterações cromossômicas, no entanto, esses resultados não foram significativos (p>0,05) quando comparado ao controle negativo. Assim, há possibilidade de elaboração de um novo produto à base do jamelão, que agregue potencial antioxidante dos compostos bioativos e benefícios à saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 130.036.743-15 - ANA AMELIA DE CARVALHO MELO CAVALCANTE - UFPI
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Notícia cadastrada em: 11/10/2017 09:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/09/2022 12:17