Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROGERIO ALMIRO OLIVEIRA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROGERIO ALMIRO OLIVEIRA SILVA
DATA: 08/02/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório da Arqueologia - UFPI
TÍTULO: Síntese e caracterização de nanocompósitos de vermiculita/goma do chichá (Sterculia striata) para aplicação em sistemas de liberação de fármacos contendo o fármaco doxazosina (DXZ) no tratamento de neoplasias
PALAVRAS-CHAVES: Vermiculita. Goma do chichá. Doxazosina. Adsorção.
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

O uso de produtos de origem natural como carreadores de fármacos apresentam-se como uma das mais atraentes e promissoras alternativas tecnológicas. As argilas são comumente utilizadas na indústria farmacêutica como excipientes ou substâncias ativas. Os nanocompósitos polímero/argila exibem em geral propriedades atraentes do ponto de vista óptico, elétrico e de barreira, além da redução de inflamabilidade das resinas em que são empregados. A vermiculita (VMT) é um tipo de camadas de silicato de alumínio, com elevada área de superfície específica e uma capacidade de absorção. Como um mineral inorgânico, VMT tem sido utilizada como um transportador de droga que apresenta propriedades melhoradas. A goma de interesse para o presente estudo é da espécie Sterculia striata (goma do chichá). O objetivo do presente trabalho foi sintetizar e caracterizar nanocompósitos de argila/goma do chichá para aplicação em sistemas de liberação de fármacos. Inicialmente, foi realizada uma prospecção tecnológica afim de se viabilizar o estudo tecnológico na base de artigos Web of Science e de patentes nos bancos de dados European Patent Office (EPO), World Intellectual Property Organization (WIPO), United States Patent and Trademark Office (USPTO), Derwent e do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) utilizando descritores relacionados ao tema. Foi possível verificar que a argila vermiculita e a goma do chichá como nanocompósitos para adsorção de fármacos é inovador até o presente momento, visto que não foram encontradas patentes e nem artigos científicos nas bases pesquisadas. Neste trabalho, a argila do tipo vermiculita foi caracterizada em sua forma natural e calcinada por técnicas de DRX, FTIR, MEV e TG/DSC. A goma do chichá foi isolada e caracterizada por técnica de DRX, infravermelho e TG/DSC. Foram realizados testes iniciais de adsorção com a vermiculita expandida, a influência da massa, do pH da solução, tempo de contato e temperatura foram avaliados. O equilíbrio foi atingido em um tempo de 840 minutos onde foi observado uma capacidade de adsorção máxima de 76 mg g -1 de adsorção. Para descrever o mecanismo que controla o processo de adsorção, a cinética de adsorção foi estudada ajustando os dados experimentais aos modelos cinéticos de pseudoprimeira ordem e pseudo-segunda ordem. O modelo de pseudo-segunda ordem apresentou melhor descrição da adsorção da doxazosina na vermiculita expandida. Os dados experimentais também foram ajustados aos modelos de isotermas de Freundlich, Langmuir e Temkin, o melhor ajuste dos dados foi observado para o modelo de Freundlich em 298 e 308K e para o modelo de Temkin em 308 e 318K. A liberação do fármaco DXZ em pH 1,2 mostrou uma liberação total em torno de 87,34% em 96 h. De um modo geral, a argila vermiculita expandida pode ser considerada uma alternativa para adsorção e liberação de fármacos, uma vez que as amostras de adsorventes estudadas tiveram alta eficiência.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1553988 - EDSON CAVALCANTI DA SILVA FILHO
Externo ao Programa - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Externo ao Programa - 1722880 - JOSY ANTEVELI OSAJIMA FURTINI
Notícia cadastrada em: 12/12/2018 16:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 06:24